Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

SARMENTO EVITA JARDIM

O ministro da Presidência, Morais Sarmento, afirmou ontem em Bruxelas estar fora de questão a realização de um referendo à Constituição Portuguesa, tal como Alberto João Jardim desafiou Jorge Sampaio a fazer.
2 de Dezembro de 2003 às 00:00
"Não comento essas declarações e não acho que deva pronunciar-me sobre referendos à Constituição. Não é uma questão que esteja neste momento em cima da mesa", referiu o ministro.
Alberto João Jardim desafiou no domingo o Presidente da República a referendar a Constituição, que considera "ilegítima" por ter nascido da Assembleia Constituinte de 1975, altura em que, disse, não havia liberdade "para se poder fazer eleições livres em todo o País".
"Se há dúvidas sobre esta Constituição, eu desafio o Presidente da República a referendá-la, a ver se estamos todos de acordo, porque num País democrático a Constituição é a lei fundamental que une todos os portugueses", disse Jardim durante a inauguração da via expresso que liga Machico ao Faial.
Segundo o presidente do Governo Regional da Madeira, há uns "cavalheiros em Lisboa que querem manter Portugal agarrado aos mitos ideológicos de 74 e 75".
Morais Sarmento afirmou conhecer as preocupações de João Jardim em relação à Constituição e que o projecto de revisão apresentado (conjuntamente pelo PSD e pelo PP) "acolhe boa parte" destas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)