Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Seguro: “Partido não pode ser bóia de salvação”

O líder do PS, António José Seguro, avisou esta terça-feira o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, que o seu partido “não pode ser a bóia de salvação” do actual Governo e prometeu estar à altura das responsabilidades.
30 de Outubro de 2012 às 12:19
O líder do PS, António José Seguro, avisa que não será bóia de salvação de Passos Coelho
O líder do PS, António José Seguro, avisa que não será bóia de salvação de Passos Coelho FOTO: Direitos Reservados

No primeiro dia de debate sobre o Orçamento de Estado para 2013, no Parlamento, Seguro começou por frisar que os portugueses cumpriram, no capítulo de sacrifícios, mas o Executivo falhou.

Depois, frisou, em relação ao convite para refundar o acordo de ajuda externa, que o País não ficará sem alternativas, nem o desafio de Passos Coelho ficará sem resposta. Neste quadro, contextualizou a resposta possível dos socialistas: "Só com mais economia e mais emprego financiaremos de forma mais sustentável. Precisamos de mais tempo para estabilizar a nossa economia e de menos juros para estabilizarmos a nossa dívida. Só neste quadro é que avaliarei as suas propostas que, com certeza, nos fará chegar". Por isso, o PS não aceita mexer nas funções sociais do Estado.

Na réplica, Passos Coelho declarou: “Não é possível baixar definitivamente a despesa sem rever as funções do Estado”.

Orçamento Ajuda Externa Acordo Memorando Troika Passos Coelho Parlamento Debate
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)