Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Sindicato critica proposta para integração de 1038 avençados

O Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa (STML) critica a proposta de António Costa para a integração dos 1038 trabalhadores avençados da autarquia num quadro de direito privado, através da criação de um tribunal arbitral. “Tem muitas falhas”, diz Libério Domingues do STML.
12 de Fevereiro de 2008 às 00:30
Não colocando entraves a uma solução que resolva a situação da precariedade no município, o STML manifesta algumas reservas quanto à eficácia da solução apresentada em Janeiro pelo presidente da autarquia. Neste sentido, o sindicato convocou para hoje um plenário com os trabalhadores da CML em vínculo precário para análise e discussão do processo.
Libério Domingues afirma que não entende os “reais objectivos” da proposta de António Costa. “Não corresponde de forma clara à nossa vontade de integração dos trabalhadores”, diz. Além disso, o sindicalista critica o facto de a proposta não ter em conta os trabalhadores precários que entretanto foram dispensados, em Dezembro de 2007. “Começamos mal!”, comenta.
A proposta de Costa passa pela “regularização do enquadramento jurídico” dos trabalhadores precários através da criação de um tribunal arbitral que visa a “adequação dos vínculos do pessoal do município em regime de direito privado”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)