Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Sócrates apupado

José Sócrates foi ontem apupado e vaiado, no Porto, por cerca de meia centena de manifestantes que exigiram o direito à negociação colectiva. O primeiro-ministro respondeu que não se deixa intimidar pelo que considera serem “fitas para as televisões filmarem” organizadas pela CGTP.
29 de Janeiro de 2008 às 00:30
Sócrates acrescentou ainda que “a CGTP acha que me intimida colocando manifestantes a gritar insultos, mas comigo isso não resulta, não me deixo intimidar com este tipo de actuações”, comentando a forma como foi recebido à entrada da Comissão de Coordenação e De-senvolvimento Regional do Norte (CCDR/N), onde presidiu à inauguração do Instituto de Inovação e Investigação de Saúde.
“Mentiroso” foi a palavra de ordem mais usada pelos participantes no protesto que, segundo João Torres, líder da União de Sindicatos do Porto, foi “um acto espontâneo” em defesa da liberdade de negociação colectiva. O responsável não conseguiu entregar a Sócrates uma carta onde a direcção da USP manifesta preocupação pela situação laboral e social do distrito.
O chefe do Governo fez questão de salientar aos jornalistas presentes que estas iniciativas da CGTP “são actuações a que o país já se habituou” e “há trinta anos que faz as mesmas fitas, apenas para as televisões filmarem”. “Não me deixo intimidar, nem me desvio do meu caminho com estas manifestações e insultos”, frisou Sócrates.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)