Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

Trinta oliveiras custaram 60 mil euros

Autarquia liderada pela socialista Maria do Céu Albuquerque comprou árvores por ajuste direto a empresa do pai e irmã do seu homólogo de Proença.
28 de Junho de 2013 às 01:00

A Câmara de Abrantes gastou mais de 60 mil euros em 30 oliveiras para colocar no recinto do centro escolar da freguesia de Alferrarede. A autarquia, liderada por Maria do Céu Albuquerque (PS), que se candidata a novo mandato, adquiriu as árvores por ajuste direto a uma empresa da família do presidente da Câmara de Proença-a-Nova, João Paulo Catarino (PS).

A informação é pública e pode ser consultada no portal ‘BASE.gov’. A 16 de abril de 2013, a Câmara de Abrantes adquiriu por ajuste direto "trinta oliveiras centenárias" por 50 950 euros, mais IVA, à empresa Aeroflora. O assunto despertou a curiosidade dos vereadores do PSD, que questionaram a presidente da autarquia sobre as razões que levaram a câmara a pagar mais de dois mil euros por cada árvore, quando a própria é dona de diversos olivais no concelho.

Segundo o vereador Santana-Maia Leonardo, Maria do Céu Albuquerque explicou que "se tratava de oliveiras seculares e que estavam abrangidas pelo projeto inicial" do centro escolar. O facto de estarem orçamentadas no projeto não explica por que razão a autarquia procedeu a um ajuste direto há três meses, e quase um ano depois de o equipamento ter sido inaugurado.

A Aeroflora tem como sócios-gerentes Acácio Catarino e Célia Cristina Catarino, o pai e a irmã do presidente da Câmara de Proença-a--Nova, João Paulo Catarino. A Câmara de Abrantes diz que a compra "é uma opção conscientemente estratégica. O concelho pretende afirmar a sua importância na produção de azeite".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)