Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

UM PROCESSO MONSTRO E DEFICIENTE

O advogado Delgado Martins pediu ontem a absolvição do ex-tesoureiro da Moderna, José Vitoriano, tecendo duras críticas ao processo judicial da universidade, considerando-o "um deficiente que nasceu prematuramente", que "foi parido apressadamente e está cego".
30 de Julho de 2003 às 00:00
No terceiro dia de alegações finais, o causídico afirmou que o processo "é um pequeno monstro, um bebé-proveta, um deficiente que nasceu de um processo de vingança", salientou, acrescentando que "começou por um Padrinho parte III e se revelou meras Recordações da Casa Amarela, ao nível nacional".
Já o advogado de Esmeraldo de Azevedo, Romeu Francês, considerou que a acusação do processo Moderna é "uma nulidade" e tem "falhas graves", pedindo também absolvição para o seu cliente.
Soares da Veiga, advogado de António de Sousa Lara, considerou a acusação "perversa e imoral".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)