Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

“Usar o voto para gritar a indignação”

As dificuldades de acesso à saúde, o apelo ao voto pela indignação e a acusação de que o Governo "tortura as estatísticas" do desemprego marcaram ontem a campanha de Francisco Lopes, num dia em que desvalorizou as críticas de Cavaco Silva sobre "uma campanha baixa".
18 de Janeiro de 2011 às 00:30
Francisco Lopes ouviu idosos
Francisco Lopes ouviu idosos FOTO: Carlos Santos/Lusa

A recta final de campanha do candidato apoiado pelos comunistas começou numa arruada em Sines. Rosa Maria, 68 anos, uma das transeuntes que o candidato encontrou, queixou-se do acesso aos tratamentos de saúde e da pensão muito magra que recebe. Mais, explicou a Francisco Lopes que não sabe se a 2 de Fevereiro terá transporte: "Eu moro em Sines e querem que eu esteja em Setúbal às 19 horas. E querem que eu volte como? Põem-me umas asas e eu ando?", perguntava.

"As pensões estão congeladas, a medicação aumentou, não tenho dinheiro para comer", lamentou-se Rosa Maria que mereceu a seguinte resposta do candidato: "Tem duas possibilidades: uma delas é calar-se, se não votar na minha candidatura; a outra é perante essas injustiças usar o voto para gritar essa indignação", disse, citado pela Lusa.

FRANCISCO LOPES SINES ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS CAMPANHA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)