Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

Valentim Loureiro diz que Borges cometeu “erro crasso”

O presidente da Câmara de Gondomar, Valentim Loureiro, disse que o primeiro-ministro "teve algum azar em algumas pessoas que escolheu", considerando que o consultor António Borges cometeu "um erro crasso" e "não pode continuar na área da governação".
1 de Outubro de 2012 às 16:39
"O primeiro-ministro teve algum azar em algumas pessoas que escolheu porque, embora sejam bons académicos, também não têm a tal experiência de vida", considerou
'O primeiro-ministro teve algum azar em algumas pessoas que escolheu porque, embora sejam bons académicos, também não têm a tal experiência de vida', considerou FOTO: Miguel Pereira da Silva


Em entrevista em exclusivo à agência Lusa, Valentim Loureiro defendeu que para o lugar de primeiro-ministro "é preciso uma maior experiência e uma maior maturidade" do que aquela que tem Passos Coelho, considerando, no entanto, que é "um bom político".

"O primeiro-ministro teve algum azar em algumas pessoas que escolheu porque, embora sejam bons académicos, também não têm a tal experiência de vida", considerou.

Na opinião do presidente da Câmara de Gondomar, as declarações de António Borges - que considerou que a medida do Governo sobre a Taxa Social Única (TSU) era "inteligente" e que os empresários que a criticaram eram "ignorantes" e não passariam no 1.º ano do curso que ministra - foram "uma infelicidade total", considerando que "quem comete um erro crasso daqueles, naturalmente que não pode continuar na área da governação".

"Penso que no que respeita a alguns ministros também são pessoas que vêm da área académica e não têm experiência empresarial. E depois, ainda por cima, foi buscar este Borges que, do meu ponto de vista, pelo menos não é sensato", disse ainda.

Questionado sobre quem seria melhor primeiro-ministro, se Passos Coelho se o ex-líder do PSD Marques Mendes -- que em 2005 o impediu de se candidatar a Gondomar pelo PSD -,Valentim Loureiro foi peremptório: "Marques Mendes é muito baixo, muito baixo em várias áreas."

"O Marques Mendes, esse, tem mais experiência. Esse pedia favores a toda a gente, tinha relações com toda a gente, pediu-me alguns a mim, pediu-me para ir à Guiné com ele para ele ser bem recebido quando tinha a pasta da Comunicação Social, para meter um parente dele na Liga como meti. Era um homem com experiência. Não sei se o Passos Coelho alguma vez andou a pedir favores destes", disse.

Questionado sobre uma possível remodelação do Governo, o presidente da Câmara de Gondomar considerou que esse "é um problema que compete ao primeiro-ministro resolver", comparando-o a "um treinador com uma equipa de futebol".

"Eu confio no primeiro-ministro. A troika tem que estar e o Governo tem que se manter, o primeiro-ministro tem que se manter", enfatizou.

Na opinião de Valentim Loureiro, "não há ninguém que tenha uma varinha mágica e agora de uma dívida externa da dimensão que nós temos, que a pudesse resolver de um momento para o outro".

"Acho que o Governo devia ter tentado que a troika desse mais tempo para se resolver o problema da dívida", considerou ainda.

valentim loureiro passos coelho antónio borges psd governo executivo
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)