Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

André Ventura foi deputado único mais ativo, Joacine fez mais só do que pelo Livre

Deputado único do Chega foi o que apresentou mais projetos de lei (11) na Assembleia da República.
Lusa 27 de Julho de 2020 às 19:03
André Ventura
André Ventura FOTO: António Cotrim / Lusa
O deputado único do Chega, André Ventura, foi o que apresentou mais projetos de lei (11) na Assembleia da República, mais um do que a Iniciativa Liberal, mas nenhum dos partidos estreantes viu conseguiu aprovar qualquer projeto legislativo.

Segundo o balanço provisório da atividade parlamentar da 1.ª sessão da atual XIV Legislatura (entre outubro e julho), o populista de direita somou 11 projetos de lei (nenhum aprovado) e 48 projetos de resolução (dois aprovados), além de 11 perguntas, seis das quais com resposta, a Governo ou Administração Pública.

Desde o dia 25 de outubro de 2019 até à última sexta-feira (24 de jul 2020) foi apresentado no hemiciclo um total de 530 iniciativas legislativas e de 597 iniciativas de resolução.

Curiosamente, a agora deputada não inscrita Joacine Katar Moreira, após divergências com a direção do partido pelo qual foi eleita, Livre, registou maior atividade depois de se desligar das "papoilas": dois projetos lei (nenhum aprovado) e 10 projetos de resolução (dois aprovados).

Enquanto representou o Livre, ou seja, até 03 de fevereiro, Joacine Moreira só submeteu um projeto de lei que não foi aprovado e fez duas perguntas ao Governo ou à Administração Pública.

O deputado único da Inciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, alcançou o segundo lugar do 'ranking', atrás de Ventura, com a apresentação de 10 projetos de lei (nenhum aprovado) e 29 projetos de resolução (um aprovado).

O liberal fez ainda 33 perguntas ao Governo ou à Administração Pública, tendo obtido 23 respostas, e formulou sete requerimentos à Administração Central ou Local ou a entidades independentes, sem qualquer retorno.

Também devido a desentendimentos no seio do PAN, Cristina Rodrigues passou a deputada não inscrita a partir de 25 de junho e tem somente no currículo um projeto de lei não aprovado.

Ver comentários