Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

Voto em casa não é garantido para eleitores em isolamento. Saiba porquê

Eleitores em casa por suspeitas de contágio ou com infeção por Covid-19 só podem votar se estiverem no concelho onde estão recenseados ou limítrofes.
Wilson Ledo 13 de Janeiro de 2021 às 08:22
Eleitores em casa por suspeitas de contágio ou com infeção por Covid-19 só podem votar se estiverem no concelho onde estão recenseados ou limítrofes
Marisa fez teste por ir às ilhas
Ventura fê-lo por sua iniciativa
Eleitores em casa por suspeitas de contágio ou com infeção por Covid-19 só podem votar se estiverem no concelho onde estão recenseados ou limítrofes
Marisa fez teste por ir às ilhas
Ventura fê-lo por sua iniciativa
Eleitores em casa por suspeitas de contágio ou com infeção por Covid-19 só podem votar se estiverem no concelho onde estão recenseados ou limítrofes
Marisa fez teste por ir às ilhas
Ventura fê-lo por sua iniciativa
Os eleitores a cumprirem isolamento profilático num concelho diferente daquele em que se estão recenseados estão impedidos de votar em casa. O Presidente da República arrisca ser um dos prejudicados, após ter testado um falso positivo. Ontem, as autoridades de saúde ainda avaliavam a origem do positivo e não tinham decidido se o Chefe de Estado podia retomar a agenda ou se tinha de se manter em isolamento.

A lei dita que só podem pedir voto em casa, por “confinamento obrigatório”, quem “se encontre recenseado no concelho de morada do local de confinamento ou em concelhos limítrofe”. “Se algum cidadão não tiver possibilidade de cumprir os procedimentos nela previstos, não poderá exercer o direito de voto”, explicou a Comissão Nacional de Eleições ao CM.

Assim, um estudante madeirense, recenseado no Funchal e a viver em Lisboa, pode votar antecipadamente a 17 de janeiro. Mas não poderá votar se tiver de ficar em confinamento obrigatório na capital. O cenário foi ainda confirmado pela linha telefónica de apoio ao eleitor.

Caso o isolamento de Marcelo Rebelo de Sousa avance, o Presidente arrisca a ficar sem votar, já que está recenseado em Celorico de Basto. Com as autoridades de saúde a estenderem-lhe o confinamento até ao dia das eleições, não pode votar nem antecipadamente, nem em Lisboa. O Palácio de Belém deu a indicação de que Marcelo iria “retomar a agenda normal”, mas voltou atrás face às indicações da DGS. O recandidato assumiu ter-se inscrito para o voto em mobilidade, uma vez que não tinha decidido ainda se iria a Celorico.

A candidata apoiada pelo BE, Marisa Matias, testou negativo ao novo coronavírus e retomará a campanha presencial hoje na Madeira e nos Açores. A eurodeputada, que assistiu à reunião do Infarmed a partir de casa, diz ver “com muita preocupação evolução dos números e a forma como está a ser difícil gerirmos esta pandemia”. “Não temos alternativa senão continuar a seguir as indicações das autoridades”.

André Ventura, candidato do Chega, optou por ser testado e o resultado foi negativo. “As autoridades de saúde não consideram necessário qualquer situação adicional”, referiu. O também deputado tem hoje campanha em Santarém e Portalegre.

A candidata socialista Ana Gomes afirma que o Presidente da República e Parlamento devem ponderar adiamento das eleições Presidenciais devido à evolução da pandemia, dizendo não desejar esse cenário, mas assegurando que não se oporá. “ A mim, compete-me chamar a atenção para a gravidade da situação apontada pelos especialistas”, frisou.

Marisa e Ventura deram negativo e seguem agenda
A candidata apoiada pelo BE, Marisa Matias, testou negativo ao novo coronavírus e retomará a campanha presencial hoje na Madeira e nos Açores. A eurodeputada, que assistiu à reunião do Infarmed a partir de casa, diz ver "com muita preocupação evolução dos números e a forma como está a ser difícil gerirmos esta pandemia". "Não temos alternativa senão continuar a seguir as indicações das autoridades".

André Ventura, candidato do Chega, optou por ser testado e o resultado foi negativo. "As autoridades de saúde não consideram necessário qualquer situação adicional", referiu. O também deputado tem hoje campanha em Santarém e Portalegre.

Ana Gomes apoia um adiamento
A candidata socialista Ana Gomes afirma que o Presidente da República e Parlamento devem ponderar adiamento das eleições Presidenciais devido à evolução da pandemia, dizendo não desejar esse cenário, mas assegurando que não se oporá. " A mim, compete-me chamar a atenção para a gravidade da situação apontada pelos especialistas", frisou.

pormenores
Linha de apoio por telefone
Os eleitores podem esclarecer dúvidas sobre o processo eleitoral, como o local de voto, ligando para o 808 206 206.

Prazo para confinados
Os eleitores em confinamento obrigatório têm de 14 a 17 de janeiro para pedir o voto em casa.

Mobilidade fecha amanhã
Acaba amanhã o prazo para os eleitores pedirem o voto num concelho diferente de onde está recenseado (em mobilidade).
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários