Correio da Manhã

Mulher morre em fuga à violência do marido
Foto Vítor Mota
Foto Vítor Mota
Foto CMTV
Foto Vítor Mota
Foto Vítor Mota
Foto Vítor Mota
Foto Vítor Mota
Foto Vítor Mota
Foto Vítor Mota
Foto Vítor Mota
Foto Vítor Mota
Por Magali Pinto | 01:30
  • Partilhe
Corpo de Cristina Cardoso, 45 anos, tinha escoriações e ferimentos e estava nu num colchão de um barracão onde pediu para ficar, em Lisboa.

Cristina Alexandra Cardoso era vítima de violência às mãos do companheiro. Os vizinhos garantem mesmo que era habitual a mulher, de 45 anos, ter nódoas negras. E foi com vários hematomas e escoriações que foi encontrada morta, esta segunda-feira de manhã, no interior de um barracão que fica dentro de uma horta, em Marvila, Lisboa. A PJ está a investigar o caso mas tudo aponta para homicídio.

O cadáver estava nu quando os agentes da PSP chegaram ao local. Um homem que explora a horta deu o alerta às autoridades. Ainda chamou os bombeiros mas a vítima já não apresentava sinais vitais. O corpo foi retirado do local pela Polícia e hoje será autopsiado no Instituto de Medicina Legal. Na primeira análise feita pelos inspetores da secção de homicídios da PJ não haverá sinal de que tenham sido usadas armas e neste caso a autópsia vai ser determinante para apurar as causas de morte .

Ao que o CM apurou, junto de alguns moradores, a mulher viveu alguns anos com o marido num apartamento a poucos metros do local onde foi encontrada morta. Recentemente saiu de casa porque era vítima de violência doméstica, pedindo para dormir naquele barracão enquanto não conseguia que lhe dessem uma casa. Ontem, às 08h18, foi encontrada morta, nua, deitada no colchão. Foi de imediato alertada a PSP. Os agentes desconfiaram do cenário que encontraram e acionaram a PJ. O corpo só foi retirado ao início da tarde. Segundo os moradores, Cristina Cardoso não tinha filhos e há meses que tinha problemas de alcoolismo.

Junto ao corpo a vítima tinha apenas alguns bens pessoais mas nada parecia remexido, sendo que a hipótese de roubo terá sido colocada de parte. Os agentes da PSP recolheram testemunhos de moradoras e passaram-nos aos inspetores da PJ, que estão a investigar a morte de Cristina Cardoso.

SAIBA MAIS
21
mulheres já morreram este ano, segundo uma contagem do Observatório das Mulheres Assassinadas juntamente com as notícias dadas pelo Correio da Manhã. O último caso aconteceu em Monte Real, Leiria, com uma vítima abatida a tiro.

Número baixou em 2017
Em 2017 tinham-se registado 20 mortes de mulheres, na totalidade. Foi o número mais baixo dos últimos 14 anos, no encalço da tendência de queda dos três anos anteriores. Uma tendência que parece estar a alterar-se em 2018.

Siga o CM no Facebook.

  • Partilhe
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE