Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Bairro de São José sem obras de requalificação

Telhados e varandas de acesso às casas em mau estado de conservação assustam residentes.
Teresa Oliveira 17 de Abril de 2017 às 08:34
Varandas de acesso às casas em mau estado
Edifícios precisam de manutenção
Estado das varandas assusta moradores
Caminho inunda no inverno
Varandas de acesso às casas em mau estado
Edifícios precisam de manutenção
Estado das varandas assusta moradores
Caminho inunda no inverno
Varandas de acesso às casas em mau estado
Edifícios precisam de manutenção
Estado das varandas assusta moradores
Caminho inunda no inverno
Moradores do Bairro de S. José, na Pontinha (Odivelas), queixam-se da degradação das suas casas, propriedade do Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU). Há telhados para reparar, escadas e varandas de acesso às frações a precisarem de obras urgentes. Trata-se de um conjunto habitacional constituído por 11 edifícios, com 165 frações autónomas, das quais 117 pertencem ao IHRU. As restantes 48 habitações são de particulares.

Maria Damásio, de 73 anos, é uma das moradoras em casas do IHRU que sofrem de infiltrações, e teme que a varanda de acesso à casa acabe por ruir: "Quando chove, escorre água pela parede da minha sala. A varanda está um perigo, mas a Proteção Civil da Câmara de Odivelas fez um relatório a dizer que não há perigo".

Alguns dos proprietários acusam "o IHRU de fazer pressão" para criarem um condomínio, que ficará responsável pela gestão dos edifícios, embora seja o instituto de habitação quem represente um maior número de frações. Os moradores temem que o IHRU "esteja a descartar-se das responsabilidades".

Ao CM, o IHRU explicou que sem a "constituição de uma administração de condomínio", está "impossibilitado de assegurar qualquer reparação das partes comuns", pois é "uma responsabilidade partilhada entre proprietários". Ainda assim, o IHRU afirmou ter já "efetuado a reabilitação de três frações" e "reparado outras sempre que se mostre necessário".

Queixas contra acesso pedonal e ponte em risco
Os residentes queixam-se ainda dos perigos que são a ponte e o acesso pedonal que as crianças são obrigadas a percorrer até à escola. No inverno, o caminho alaga devido à subida no nível das águas de um ribeiro.

Ao CM, a câmara de Odivelas garante que a "ponte será alvo de intervenção em breve" e que faz "desassoreamento". Já sobre a creche, a autarquia e a junta da Pontinha dizem que o espaço que serve os moradores será devolvido ao bairro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)