Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Cachecóis em lã de Bucos dão 'abraço' ao mosteiro de Cabeceiras de Basto

Projeto ‘Dá Lã um Abraço ao Mosteiro’ pretende valorizar o património do concelho.
Fátima Vilaça 23 de Janeiro de 2019 às 09:00
Mulheres de Bucos é um grupo de tecedeiras que dinamiza a Casa da Lã, onde será amanhã apresentada a iniciativa
Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto
Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto
Mulheres de Bucos é um grupo de tecedeiras que dinamiza a Casa da Lã, onde será amanhã apresentada a iniciativa
Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto
Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto
Mulheres de Bucos é um grupo de tecedeiras que dinamiza a Casa da Lã, onde será amanhã apresentada a iniciativa
Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto
Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto
Dá lã um abraço ao Mosteiro’ é o nome da mais recente iniciativa lançada pela Câmara de Cabeceiras de Basto, que pretende, em simultâneo, destacar o trabalho das Mulheres de Bucos e promover o Mosteiro de S. Miguel de Refojos - dois dos mais importantes patrimónios do concelho.

O objetivo do programa - que será oficialmente apresentado amanhã, passa por desafiar os cabeceirenses a tricotarem o maior número de cachecóis possível, para, a 3 de junho, dar ‘um abraço de lã ao mosteiro’.

"Pretendemos associar esta iniciativa ao Dia Mundial da Criança para que os mais novos comecem, desde tenra idade, a conhecer e a valorizar o património concelhio", disse ao Correio da Manhã fonte da autarquia.

O projeto, integrado no programa ‘Mosteiro de Emoções’, é apresentado amanhã pelo presidente da câmara, Francisco Alves, na Casa da Lã, na freguesia de Bucos.

O edil vai estar acompanhado pelas Mulheres de Bucos - um grupo de tecedeiras tradicionais que dinamiza a Casa da Lã - que vão ensinar e apoiar todos os que queiram aceitar o desafio de tricotar um cachecol e participar, depois, no grande ‘abraço’ ao Mosteiro de Refojos.

"O desafio é lançado a todos os cabeceirenses, às famílias e às instituições. A ideia é que as famílias aproveitem as noites frias de inverno na produção do cachecol", indica a mesma fonte.

O cachecol terá que ser feito em lã, segundo a imaginação e criatividade de cada um. A câmara vai colocar à venda meadas de lã de Bucos, assim como agulhas, na Casa da Cultura, na Casa do Tempo e na Casa do Povo do Arco de Baúlhe.
Ver comentários