Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Câmara de Lagoa dá 2000 euros por cada bebé nascido

Subsídio foi aumentado em 500 euros e já foi aprovado pela assembleia municipal.
Ana Palma 14 de Outubro de 2018 às 09:20
Recém-nascido
Recém-nascido
Bebé
Recém-nascido com bebé
Recém-nascido
Recém-nascido
Bebé
Recém-nascido com bebé
Recém-nascido
Recém-nascido
Bebé
Recém-nascido com bebé
Os residentes do concelho de Lagoa vão receber 2000 euros por cada novo bebé. Nesse sentido, a Câmara de Lagoa (CML) alterou, recentemente, o seu regulamento de incentivo à natalidade, aumentando em 500 euros o valor a pagar aos moradores no concelho por cada novo nascimento.

Segundo o CM apurou este sábado junto da vereadora da CML, "os pais têm de estar recenseados há um ano e residir há dois no concelho" para poder receber o apoio. Assim que o bebé nasce, "a família recebe logo 250 euros e os restantes serão pagos sob a forma de reembolso de despesas efetuadas com a criança, ao longos dos primeiros dois anos de vida, em estabelecimentos do comércio local", adiantou Anabela Simão.

O documento foi aprovado na última sessão da assembleia municipal e entrará em vigor logo que seja publicado em Diário da República, o que deverá acontecer muito em breve.

Outra alteração introduzida no regulamento de incentivo à natalidade da CML tem a ver com o facto de deixar de haver um limite de rendimentos para as famílias receberem o apoio.

Isto porque, no passado, algumas famílias não receberam o subsídio por o seu rendimento ultrapassar, por pouco, o valor que estava fixado, situação que, para a vereadora, era "injusta".

Anabela Simão recordou ainda que a CML já tinha previsto apoiar o tratamento de casais que não podem ter filhos. "Damos apoio a casais inférteis, dentro das possibilidades, para poderem fazer tratamentos que são muito caros", frisou.

A CML prepara-se também para apoiar a adoção: "As crianças não precisam de ser do concelho, só os pais , esclareceu.
Lagoa Câmara de Lagoa CML Anabela Simão Diário da República política autoridades locais questões sociais
Ver comentários