Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Câmara quer camiões fora de circulação na VCI

Pesados vão ter de seguir pela CREP, onde veículos vão ficar isentos de pagar portagens.
Nelson Rodrigues 20 de Setembro de 2020 às 10:18
Objetivo é tornar a Via de Cintura Interna uma via de trânsito menos caótica e com menos acidentes rodoviários
Objetivo é tornar a Via de Cintura Interna uma via de trânsito menos caótica e com menos acidentes rodoviários FOTO: CMTV
A Assembleia Municipal do Porto aprovou, por unanimidade, uma moção para proibir o tráfego de veículos pesados de mercadorias na Via de Cintura Interna (VCI) e para que estes veículos fiquem isentos do pagamento de portagens na A41 - também designada por Circular Regional Externa do Porto (CREP). O objetivo é tornar a principal via da cidade Invicta menos caótica.

No entanto haverá uma exceção: na VCI podem circular pesados que operem cargas e descargas na cidade do Porto. A moção foi apresentada esta semana na sessão ordinária da Assembleia Municipal do Porto. Contou com o voto favorável de todos os partidos. De acordo com um estudo pedido pela autarquia, à Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, a média de acidentes por dia, naquele troço - com uma extensão de cerca de 11,4 quilómetros -, representa cerca de 22% do total de acidentes da cidade.

"São uma trombose sobre praticamente todas as vias de circulação interna da cidade, em particular nas que lhe são próximas", diz a proposta. O documento refere ainda que a VCI está no "limite do seu funcionamento" e que qualquer alteração significativa no contexto das redes viárias municipais, como é exemplo, a expansão da rede de metro, "irá agravar significativamente o cenário atual que por si só é já negativo e penalizador para a dinâmica socioeconómica da cidade".

No documento é ainda referido que a empreitada de requalificação do tabuleiro inferior da Ponte Luís I deixa antever uma "sobrecarga do tráfego na VCI , logo um aumento da sinistralidade e consequentemente dos níveis de congestionamento da rede viária da cidade".
Ver comentários