Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Centros de saúde do distrito de Leiria com horários alargados

Centro Hospitalar de Leiria quer menos casos não urgentes para evitar pico da gripe.
José Durão 28 de Dezembro de 2019 às 10:31
Centro Hospitalar de Leira
Centro Hospitalar de Leira FOTO: Pedro Brutt Pacheco
O Centro Hospitalar de Leiria apelou esta sexta-feira a que os utentes se desloquem primeiro aos serviços de saúde primários e só às Urgências caso se justifique. Na sede do centro hospitalar, em Leiria, o objetivo é reduzir a pressão sobre os serviços para tentar mitigar o pico de procura habitualmente registado no mês de janeiro, devido ao aumento dos casos de gripe.

Até agora, esse pico ainda não foi notado: mesmo com o aumento de utentes dos últimos dias, devido a acidentes ocorridos durante as cheias, a lotação das camas de contingência não ultrapassava os 65% na segunda-feira.

No ano passado, a situação atingiu valores críticos no período homólogo. Doentes não agudos, que compuseram metade do número total de utentes das Urgências no mês de janeiro, elevaram o número de atendimentos para 600 pessoas por dia e deixaram as Urgências do Hospital de Leiria em rutura.

Em outubro, a Administração Regional da Saúde do Centro aprovou um plano de contingência para dar resposta ao flagelo da gripe, que permite alterar e cancelar consultas caso seja necessário prestar cuidados imediatos a utentes em situações de doença aguda.

Para este inverno, a 31 de dezembro e 1 de janeiro, para aumentar a capacidade de resposta médica na região, vão ser alargados os horários nos centros de saúde Dr. Gorjão Henriques, em Leiria, e Dr. Arnaldo Sampaio, em Marrazes, entre as 9h00 e as 13h00; a consulta aberta em Porto de Mós estará disponível das 8h00 às 14h00, e o SAP da Marinha Grande ficará aberto 24 horas por dia.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)