Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Dezenas de ambulâncias retidas nas urgências em hospital de Penafiel

Mulher de 68 anos com falta de ar espera 10 horas para ser atendida, com pulseira laranja.
Manuel Jorge Bento 7 de Agosto de 2018 às 08:27
Dezenas de ambulâncias retidas nas urgências em Penafiel
Dezenas de ambulâncias retidas nas urgências em Penafiel
INEM
INEM
Dezenas de ambulâncias retidas nas urgências em Penafiel
Dezenas de ambulâncias retidas nas urgências em Penafiel
INEM
INEM
Dezenas de ambulâncias retidas nas urgências em Penafiel
Dezenas de ambulâncias retidas nas urgências em Penafiel
INEM
INEM
Vinte e cinco ambulâncias de várias corporações do Vale do Sousa paradas, largas dezenas de utentes e familiares a aguardar no exterior e tempos de espera de várias horas.

Foi este o cenário vivido na Urgência do Hospital Padre Américo, Penafiel, na noite de domingo. O centro hospitalar reconhece "picos anormais decorrentes da vaga de calor dos últimos dias", mas garante que "os recursos humanos afetos à Urgência foram os necessários e foi feito o reforço nos momentos em que foi aconselhável".

"A minha avó tem 68 anos, tinha falta de ar, recebeu pulseira laranja às 17h00 e só foi atendida depois das 03h00. É inadmissível", contou Ana Moreira, familiar de uma utente.

A Urgência do Hospital Padre Américo recebeu, no domingo, 653 utentes, quando a média ronda os 450. Fonte hospitalar refere picos de afluência das 08h00 às 12h00 e das 20h00 às 00h00, e um tempo de espera médio (todas as pulseiras) de três horas.

Esta segunda-feira de manhã, o tempo de espera já era mais aceitável, mas, ainda assim, com cerca de 50 minutos para os portadores de pulseira amarela e mais de uma hora para quem tinha pulseira verde. "A situação tem vindo a normalizar-se", indicou a unidade hospitalar.

O Hospital Padre Américo tem, também, tempos de resposta muito elevados para consultas de algumas especialidades. De acordo com a página do Serviço Nacional de Saúde na internet, os casos prioritários de Cardiologia têm que aguardar 529 dias (cerca de ano e meio) por uma consulta.

Mesmo as situações muito prioritárias nesta especialidade estão sujeitas a uma espera de 190 dias, ou seja, mais de meio ano.
Ver comentários