Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Espanha volta a falhar no envio de água do Tejo

Ambientalistas apontam incumprimento na ordem de um milhão de metros cúbicos no espaço de 15 dias.
João Saramago 12 de Novembro de 2019 às 08:44
Rio Tejo, em Vila Velha de Ródão, regista um caudal baixo. Ambientalistas culpam Espanha
Espanha deixa rio Tejo a seco e causa desastre na Beira Baixa
Espanha deixa rio Tejo a seco e causa desastre na Beira Baixa
Rio Tejo, em Vila Velha de Ródão, regista um caudal baixo. Ambientalistas culpam Espanha
Espanha deixa rio Tejo a seco e causa desastre na Beira Baixa
Espanha deixa rio Tejo a seco e causa desastre na Beira Baixa
Rio Tejo, em Vila Velha de Ródão, regista um caudal baixo. Ambientalistas culpam Espanha
Espanha deixa rio Tejo a seco e causa desastre na Beira Baixa
Espanha deixa rio Tejo a seco e causa desastre na Beira Baixa
Espanha voltou a não cumprir a Convenção de Albufeira em relação ao envio de água no rio Tejo nos últimos 15 dias de outubro, acusam os ambientalistas do proTejo - Movimento pelo Tejo.

"O caudal em falta é de um milhão de metros cúbicos, volume apurado por terem sido enviados apenas 6,2 milhões e 6,7 milhões de metros cúbicos, respetivamente na 3ª e 4ª semanas de outubro, dos 7 milhões semanais acordados", divulgou o porta-voz do movimento ambientalista, Paulo Constantino.

Os cálculos, realizados a partir dos dados da estação na barragem do Fratel, levaram o Movimento pelo Tejo a questionar o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, se já foram pedidos esclarecimentos ao seu homólogo espanhol quanto a este incumprimento.

Esta segunda-feira, à margem de um evento sobre os oceanos, o ministro do Ambiente estimou ter esta semana "alguma resposta" de Espanha sobre a gestão dos caudais do Tejo.

Do lado dos ambientalistas, somam-se as chamadas de atenção. Paulo Constantino questiona se "valeu a pena o vazamento da barragem de Cedillo, deixando os rios Pônsul e Sever a seco, numa tentativa de cumprir burocrática e formalmente a convenção, quando agora Espanha inicia o novo ano hidrológico em situação de incumprimento".

O Movimento pelo Tejo reitera a afirmação de que "Espanha não cumpriu a convenção no ano hidrológico de 2018/2019", que terminou em setembro, "tendo enviado para Portugal um máximo de 2695 hectómetros cúbicos dos 2700 hectómetros cúbicos de caudal anual fixado"
Movimento Espanha Tejo Paulo Constantino ambiente questões sociais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)