Falta de mão de obra deixa barcos em terra no Algarve

Associação Armalgarve critica formação “excessiva” e que acaba por ser “desnecessária”.
Por Tiago Griff|11.01.19
Há barcos de pesca em terra no Algarve devido à falta de mão de obra, um problema que se tem vindo a acentuar nos últimos anos.

Para além de haver alguma falta de interesse em trabalhar no mar, um dos fatores que em muito tem contribuído para esta realidade é a obrigatoriedade de fazer uma formação de cerca de dois meses para obter uma cédula marítima, algo que a associação de pescadores Armalgarve considera "excessivo" e que deveria estar reservado apenas para posições específicas na embarcação, como "nas áreas de mestria ou mecânica".

"Um pai de família, com obrigações financeiras diárias, não pode ficar dois meses a tirar uma formação sem receber. Até porque quando ele vem trabalhar para o barco vou ter de ensinar tudo novamente, porque só aqui é que eles aprendem verdadeiramente todas as especificidades", defende José Agostinho, presidente da Armalgarve.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!