Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Famílias de pescadores vão sair da Praia de Faro em 2022

112 pessoas do núcleo piscatório vão ser realojadas em casas de habitação social.
Rui Pando Gomes 16 de Junho de 2018 às 09:00
Casas na Ilha de Faro
Casas na Ilha de Faro
Casas na Ilha de Faro
Casas na Ilha de Faro
Casas na Ilha de Faro
Casas na Ilha de Faro
Um total de 112 pessoas que vivem na Praia de Faro vão ser realojadas em casas de habitação social que vão ser construídas na zona de Montenegro, em Faro. O realojamento de 49 famílias do núcleo piscatório fora da ilha está previsto para 2022.

O anúncio foi feito pelo presidente da Câmara de Faro, Rogério Bacalhau, no local onde serão construídas as casas. "[O número de famílias] corresponde sensivelmente a metade da comunidade piscatória [da Praia de Faro]. As famílias que está previsto virem para aqui são aquelas que hoje já não têm diretamente atividade ligada ao mar e à ria. São reformados e as pessoas mais antigas", revelou o presidente da autarquia.

Com o início da obra apontado para meados de 2020, as 49 famílias, num total de 122 pessoas, deverão ser realojadas em 2022 ou, "na melhor das hipóteses, em 2021", estimou o autarca farense. De acordo com o programa habitacional revelado pela Câmara de Faro, que respeita as normas de edificações a custos controlados, serão construídos 49 fogos, 22 de tipologia T1, 15 T2 e 12 T3.

As rendas só serão definidas quando as pessoas forem realojadas, disse Rogério Bacalhau, admitindo que a maior parte serão "baixas", ao nível dos seus rendimentos. "Serão rendas de habitação social, que podem ir de quatro a 300 euros, dependendo do rendimento do agregado familiar. São pessoas que vivem das suas reformas. Serão rendas baixas, certamente", realçou.

Para as restantes 49 famílias do núcleo piscatório da Praia de Faro, num total de 98 famílias que vivem atualmente em habitações precárias, ainda não há soluções .n *com lusa
Ver comentários