Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Federação Portuguesa do Caminho de Santiago é formalizada a 17 de maio

A criação desta federação está a ser coordenada pela Câmara de Vila Pouca de Aguiar.
Lusa 12 de Março de 2019 às 17:43
Sinalética dos Caminhos de Santiago em Portugal
Sinalética dos Caminhos de Santiago em Portugal será valorizada
Caminhos de Santiago em Braga
Sinalética dos Caminhos de Santiago em Portugal
Sinalética dos Caminhos de Santiago em Portugal será valorizada
Caminhos de Santiago em Braga
Sinalética dos Caminhos de Santiago em Portugal
Sinalética dos Caminhos de Santiago em Portugal será valorizada
Caminhos de Santiago em Braga

A Federação Portuguesa do Caminho de Santiago vai ser formalizada a 17 de maio, em Vila Pouca de Aguiar, une 60 entidades e visa implementar uma estratégia e sinalética comum nestas vias de peregrinação, anunciou esta terça-feira a autarquia local.

A criação desta federação está a ser coordenada pela Câmara de Vila Pouca de Aguiar, que é a representante nacional da Federação Europeia dos Caminhos de Santiago.

"Estamos a tentar criar uma política comum entre municípios, associações de peregrinos, pastoral do turismo e todas as outras entidades que, de alguma forma, estejam ligadas ao Caminho de Santiago", afirmou à agência Lusa Ana Rita Dias, vice-presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar.

A nova entidade visa, segundo a responsável, delinear e implementar "uma estratégia comum em todo o país", bem como uma sinalética igual e a promoção e divulgação dos caminhos portugueses.

"A intenção também é revitalizar aqueles caminhos que existindo não têm tanta peregrinação ou por falta de informação ou de sinalética ou até pela falta de manutenção desses troços", acrescentou.

Trata-se de uma associação de caráter cultural sem fins lucrativos, que terá sede neste concelho do distrito de Vila Real e vai exercer a sua ação em todo o território nacional. A escritura oficial está marcada para o dia 17 de maio, na vila termal de Pedras Salgadas.

A federação tem como objetivo a promoção, divulgação, organização e gestão dos Caminhos de Santiago em território nacional.

Visa ainda "revitalizar e dinamizar as variantes do Caminho Português de Santiago como importantes vias de peregrinação a Santiago de Compostela, recuperando, preservando e promovendo também o património histórico-cultural e religioso associado ao caminho, a interculturalidade dos povos e impulsionando o desenvolvimento económico, social e ambiental das regiões atravessadas".

Esta terça-feira, dezenas de representantes de municípios, entidades religiosas, associações de peregrinos e universidades estiveram reunidos em Vila Pouca de Aguiar, para planear a estreia oficial da federação.

Os Caminhos de Santiago, que atravessam Portugal de sul para norte, são seguidos pelos peregrinos há séculos e têm como destino a Catedral de Santiago de Compostela, em Espanha.

Atualmente podem identificar-se três percursos principais: o Caminho da Costa que parte do Porto, atravessa o Minho até Espanha, o Caminho Interior que liga Viseu a Chaves, com saída para Espanha por Vilarelho da Raia, e o Caminho Central Português que sai da Sé de Lisboa e passa por Tomar, Coimbra até entrar no Porto e seguir depois para Norte.

"Queremos dar a conhecer os outros caminhos para além dos principais", salientou Ana Rita Dias.

A vice-presidente referiu que Portugal é o segundo país, a seguir à França, com maior afluência de peregrinos a Santiago de Compostela.

O concelho de Vila Pouca de Aguiar está incluído no Caminho Interior, o único a nível nacional que tem o selo de itinerário cultural europeu.

Ver comentários