Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Mais de 9 mil esperam por cirurgias no Algarve

Um doente espera por uma intervenção desde 2008, três desde 2009 e dois desde 2010.
João Mira Godinho 16 de Março de 2017 às 08:39
Registou-se uma redução de 25 por cento nas horas disponíveis para cirurgia no bloco central
Registou-se uma redução de 25 por cento nas horas disponíveis para cirurgia no bloco central FOTO: Eduardo Martins
Há mais de 9 mil pessoas em lista de espera para cirurgia, no Centro Hospitalar do Algarve (CHA). Um doente, de ortopedia, aguarda mesmo desde 2008 pela intervenção, três, da mesma especialidade, desde 2009, e dois, também de ortopedia, desde 2010. Os dados são do Relatório do Departamento Cirúrgico do CHA, relativo a 2016, que revela ainda que, no Hospital de Faro, houve uma redução de 4,8% na atividade cirúrgica geral, em relação ao ano anterior.

No relatório fica ainda patente que as transferências para privados aumentaram 77%, de 2015 para 2016, com um aumento de 35% das cirurgias nestas unidades. A tutela tinha previsto gastar 4 milhões com o recurso a privados, acabando por aplicar 5,5 milhões.

O documento foi tornado público pelo deputado do PSD Cristóvão Norte, que destaca a "recorrente incapacidade [do departamento cirúrgico do CHA] de atingir as metas previstas", o que "tem reflexos no contrato-programa a celebrar, ou seja, o Governo, com base nestes resultados, financia menos". O parlamentar, eleito pelo Algarve, anunciou que vai visitar a região dias 20 e 21 e, também, que vai "exigir respostas ao ministro da Saúde".

O relatório aponta a carência de anestesistas como uma das principais causas para a redução da atividade cirúrgica no Hospital de Faro - causou uma redução de 25% nas horas disponíveis no bloco central.

O CM contactou a administração do CHA, que se limitou a dizer que não comenta "documentos internos" mas que "alguns indicadores já foram alvo de intervenção, tendo registado melhorias significativas".
Ver comentários