Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Moradores de Casal do Cotão reclamam por mais limpeza em Sintra

Dezenas de carros abandonados ocupam os lugares que deviam ser para os moradores do bairro.
Beatriz Pinto e Edgar Nascimento 25 de Maio de 2019 às 09:19
Barreiras de segurança colocadas pela Câmara de Sintra, mas sem previsão de reconstrução da estrutura degradada
Viatura acidentada e imobilizada
Terreno ao lado de habitações
Barreiras de segurança colocadas pela Câmara de Sintra, mas sem previsão de reconstrução da estrutura degradada
Viatura acidentada e imobilizada
Terreno ao lado de habitações
Barreiras de segurança colocadas pela Câmara de Sintra, mas sem previsão de reconstrução da estrutura degradada
Viatura acidentada e imobilizada
Terreno ao lado de habitações
Viaturas abandonadas, sem selo, sem seguro e completamente degradadas, ocupam lugares de estacionamento público há vários anos, no Casal do Cotão, concelho de Sintra.

Os moradores acusam a Câmara de Sintra de não retirar os veículos, apesar de já terem denunciado a situação várias vezes. À falta de estacionamento juntam-se outras queixas, como a falta de limpeza nas ruas do bairro.

A falta de lugares obriga os moradores a estacionarem os veículos em segunda fila ou em cima dos passeios. "Somos autuados pela polícia e não podemos fazer nada porque estamos mal estacionados, mesmo tendo uma justificação. Se reclamarmos, ninguém se responsabiliza", revela Ricardo Gomes, residente no Casal do Cotão.

"Lixeiras a céu aberto" – é assim que os moradores caracterizam as ruas e terrenos do bairro onde vivem. "As pessoas têm falta de civismo, abrem a janela e mandam os sacos do lixo para a rua", conta Mónica Madeira, que vive há 18 anos na localidade. "As pessoas que aqui estão pagam impostos, e ninguém faz nada. Somos seres humanos e merecemos ser tratados como tal", concretiza.

Em forma de protesto, os residentes organizaram uma petição, com 374 assinaturas, entregue há dois meses no Gabinete de Apoio ao Munícipe na Loja do Cidadão da Câmara de Sintra. A autarquia deu esta sexta-feira uma resposta à petição, com a marcação de uma reunião para dia 31 deste mês.

Após ser contactada pelo CM, a Câmara de Sintra garantiu que, "nos próximos dias, além de operações de recolha do entulho, será reforçada a fiscalização de viaturas".

As ruas são um depósito de carros abandonados
Os estacionamentos públicos e próximos das residências estão, na sua maioria, ocupados por veículos degradados e abandonados. Há viaturas paradas nos estacionamentos com seguros e selos caducados há mais de 6 anos. Algumas encontram-se sem espelhos, com os pneus vazios.

Zona habitacional junto ao IC19
O bairro do Casal do Cotão fica sobranceiro ao IC19, defronte da estação ferroviária do Cacém. Pertence à União de Freguesias do Cacém e de São Marcos (que conta quase 40 mil residentes, segundo os Censos 2011) e é caracterizado por vários prédios, com média de 7 pisos.

Lixo doméstico e entulho nos terrenos
Garrafas de vidro e de plástico, roupa velha, calçado, sacos com lixo, sacos de plástico, dejetos de animais e materiais de construção abandonados – é esta a visão que alguns dos residentes do Casal do Cotão têm do local onde vivem. As ruas, os jardins, os terrenos devolutos e as zonas comuns no bairro estão repletos de lixo doméstico e entulho.

DEPOIMENTOS
Ricardo Gomes
29 anos, morador
"Removam esses veículos e criem estacionamentos"
"É importante que removam os veículos e criem estacionamentos. Há bastante terreno devoluto cheio de lixo nas proximidades, podiam aproveitar os espaços para criar mais estacionamento em vez de estarem ao abandono."

Mónica Madeira
43 anos, moradora
"Estão a deixar o bairro cair no esquecimento"
"Há uns anos entrei em contacto com a câmara municipal a solicitar uma limpeza, mas como alegaram não terem ninguém para a fazer, teve de ser o meu marido. Estão a deixar o bairro cair no esquecimento, e nós não somos um bairro esquecido."
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)