Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Mosteiro de Palaçoulo com monjas em outubro

Bispo espera receber as primeiras monjas no ano do 475º aniversário da diocese.
Tânia Rei 3 de Fevereiro de 2020 às 09:50
Mosteiro de Palaçoulo com monjas em outubro
Mosteiro de Palaçoulo com monjas em outubro FOTO: Direitos reservados
O Mosteiro da Ordem Trapista, que está a ser construído em Palaçoulo, no concelho de Miranda do Douro, vai começar a receber as primeiras monjas até outubro. A previsão é do bispo da Diocese Bragança-Miranda, que avança que as obras estão a decorrer "em bom ritmo".

A bênção da empreitada aconteceu no dia 24 de junho do ano passado. "Este ano, a diocese celebra 475 anos da sua fundação. E temos esta bênção no lugar onde ela nasceu, em Miranda do Douro, de podermos, ao longo do ano, esperamos que em outubro, acolher as 10 monjas no mosteiro trapista de Santa Maria Mãe da Igreja", informou D. José Cordeiro.

Recentemente, o bispo esteve o local. "Juntamente com a abadessa do Mosteiro de Vitorchiano (Itália), da qual depende esta fundação, visitámos as obras. E foi com alegria que pudemos constatar que estão em bom ritmo", referiu.

O mosteiro vai ter capacidade para 40 monjas, e surge mais de 400 anos depois da extinção de outro na região. "Esta diocese começou com um mosteiro beneditino, em Castro de Avelãs (Bragança), e 475 anos depois volta a ter um mosteiro segundo a Ordem de São Bento, e que há de suscitar o maior bem para Palaçoulo, para esta diocese, para Portugal e para toda a Igreja", espera D. José Cordeiro.

Nesta primeira fase, está a ser construída a Casa de Acolhimento. A obra ocupará 30 hectares, e vai demorar cerca de cinco anos a estar totalmente construída, incluindo uma hospedaria para turistas e visitantes, tendo em vista a autossustentação. O valor total do investimento, financiado por aquela Ordem, é de cerca de seis milhões de euros.
Ver comentários