Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Pais angustiados com urgência do Garcia de Orta fechada à noite

Encerramento da Urgência pediátrica do Hospital em Almada motivou ação de protesto.
Rogério Chambel e Sofia Garcia 19 de Novembro de 2019 às 09:04
Protesto em Almada contra o encerramento, durante a noite, da Urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta
Protesto em Almada contra o encerramento, durante a noite, da Urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta
Protesto em Almada contra o encerramento, durante a noite, da Urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta
Protesto em Almada contra o encerramento, durante a noite, da Urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta
Protesto em Almada contra o encerramento, durante a noite, da Urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta
Protesto em Almada contra o encerramento, durante a noite, da Urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta
Protesto em Almada contra o encerramento, durante a noite, da Urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta
Protesto em Almada contra o encerramento, durante a noite, da Urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta
Protesto em Almada contra o encerramento, durante a noite, da Urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta
As comissões de utentes de Almada e Seixal, com o apoio de autarcas e sindicatos, concentraram-se esta segunda-feira junto ao Hospital Garcia de Orta, em Almada, em protesto contra o encerramento da Urgência pediátrica daquela unidade durante a noite.

Desde segunda-feira que o serviço é obrigado a fechar entre as 20h00 e as 08h00, sem previsão de reabertura. O cenário preocupa os utentes. "É uma angústia enorme. O Hospital Garcia de Orta serve mais de 450 mil pessoas.

Com o fecho da Urgência pediátrica à noite, não há alternativas na Margem Sul. As nossas crianças terão de ir para Lisboa, para os hospitais Santa Maria ou Dona Estefânia. E se houver complicações no trânsito na ponte 25 de Abril?", questiona José Lourenço, da comissão de utentes.

Para o responsável o encerramento fica a dever-se "a um laxismo por parte de anteriores administrações do Garcia de Orta e também da tutela". À vigília de segunda-feira deverão seguir-se novas ações de protesto, nomeadamente em frente ao Ministério da Saúde.

"Tudo depende da capacidade de captar pediatras e conseguir normalizar o serviço", afirma, por seu turno, a ministra da Saúde, Marta Temido. Segundo o ministério, o horário das unidades de saúde da Amora (Seixal) e Rainha D. Leonor (Almada) vão passar a funcionar das 08h00 à meia-noite nos dias de semana e das 10h00 às 22h00 no fim de semana.

A falta de especialistas afeta o hospital há mais de um ano, quando saíram 13 profissionais, e, segundo o Sindicato dos Médicos da Zona Sul, nem o lançamento de concursos foi suficiente para colmatar a carência porque "ninguém concorreu".
Garcia de Orta
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)