Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Pescadores de lampreia desesperam com jacintos na Figueira da Foz

Infestantes surgiram no Mondego há três anos e têm ameaçado várias espécies de peixes.
Mário Freire 23 de Janeiro de 2020 às 08:40
A carregar o vídeo ...
Pescadores de lampreia desesperam com jacintos na Figueira da Foz
Apraga de jacintos de água no Rio Mondego está a afetar os pescadores de lampreia na Figueira da Foz, que de ano para ano somam prejuízos causados pela infestante e para os quais não têm qualquer tipo de apoio. Os pescadores vivem momentos desesperantes, em plena campanha, quando têm um período de dez dias para utilizar as licenças para a pesca de lampreia que lhes foram atribuídas.

"Não conseguimos pescar nada por causa dos jacintos", afirma ao CM Adriano Meixa, que lamenta "a falta de apoios do Governo" e defende o prolongamento da licença. "É que por causa disto, pagamos e não pescamos nada. Gastamos o combustível a retirar redes danificadas do rio", explica o pescador, lembrando que "a reparação de uma rede fica em 600 euros, fora os ferros, cordas e o chumbo".

Antes da campanha ter iniciado, os pescadores estiveram reunidos com várias entidades de forma a minimizar o impacto do infestaste que surgiu há três anos. Mas sem efeito. "Uma das soluções era tentar tirar a montante o máximo de jacintos para terra, mas só a Câmara de Montemor-o-Velho é que o está a fazer", acusa José Manuel, também pescador, desabafando "que nestas reuniões só são ouvidos os interesses dos grandes, os pequenitos passam fome".

Nelson Pata queixa-se "do lixo que o rio tem". E sublinha: "Não nos deixa apanhar nada. Ontem lancei a rede de arrasto e nem um peixe para comer apanhei, foi só lixo. As redes partem-se todas." Para Adriano Ameixa o problema é claro: as infestantes apodrecem no fundo do rio, "matam várias espécies de peixe e o berbigão tem desaparecido".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)