Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

População de Camarate indignada com poluição

Cheiro e poeiras de fábrica de alcatrão e de transportadora afetam a vida dos moradores.
Teresa Oliveira 1 de Março de 2017 às 08:26
Moradores estão desesperados com o barulho e as poeiras mesmo ao lado de casa
Moradores estão desesperados com o barulho e as poeiras mesmo ao lado de casa FOTO: Duarte Roriz
Os moradores do bairro de São Francisco, em Camarate, Loures, queixam-se do barulho, do cheiro a alcatrão e das poeiras oriundas da fábrica Alves Ribeiro, que os obriga a viver de janelas fechadas. Já foi feita queixa do Ministério do Ambiente no Ministério Público. "Cada vez que deixo uma janela aberta, chego a casa e tenho pó preto e cinza em todo o lado", conta ao CM Óscar Ferreira, 68 anos, um dos residentes no bairro. Os moradores queixam-se de problemas respiratórios e têm reclamado junto do município de Loures e do Ministério do Ambiente.

Mas este não é o único problema no bairro. As pessoas dizem "ter a vida em risco", devido ao parque de contentores da TIBA. Um contentor já caiu e fez danos materiais. "O muro parece instável", afirmam.

A Câmara de Loures explica ao CM que, em recente análise, foi detetada "alguma propagação de poeiras", tendo "oficiado a empresa para apresentar um plano para minimização de tais emissões". Quanto à TIBA, a autarquia diz que "se encontra em situação de irregularidade" e que "está a avaliar o seu funcionamento em termos de impactos ambientais".

Ao CM, a Alves Ribeiro garante que "cumpre com todas as normas vigentes". Já Carlos Silvestre, gerente da TIBA, explica ao CM que na sequência da queda do contentor houve um "reforço de medidas de segurança"e que o seguro de responsabilidade civil, no valor de um milhão de euros, "nunca foi acionado". O responsável refere que a empresa tem mantido vários contactos com a a associação de moradores.

Questionado pelo CM, o Ministério do Ambiente não respondeu.
Ver comentários