Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Populares de aldeia isolada no concelho de Coimbra cortam estrada

Rota deixa aldeia de Orelhudo sem transportes públicos, que há muito é reivindicado pela população.
Mário Freire 3 de Novembro de 2020 às 09:02
Populares de aldeia isolada no concelho de Coimbra cortam estrada
Populares de aldeia isolada no concelho de Coimbra cortam estrada FOTO: Nuno Alfarrobinha
Esquecidos e discriminados. É desta forma que os habitantes do Orelhudo, no sul do concelho de Coimbra, se sentem. Em causa está a falta de transportes públicos. Esta segunda-feira foi inaugurada a extensão de uma nova rota do Serviço Municipalizado de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC), que serve a freguesia de Cernache, mas deixa o lugar de fora. Por isso, os populares juntaram-se e protestaram. Durante uma hora barraram a passagem do minibus do SMTUC.

“Este é o único lugar do concelho sem transportes”, reconhece António Lopes, presidente da junta de freguesia de Cernache. “Fomos a última aldeia a ter água canalizada e saneamento, agora continuamos sem transportes e a ser descriminados”, acusa Nuno Cadete, um dos habitantes no protesto. Este morador já levou a questão à Câmara Municipal, onde lhe foi dito que “em causa está um contrato com a Transdev e que não podem violar”. Uma situação que considera, “mais uma vez prejudicar o lugar. Pagamos três vezes mais , são dois euros e trinta e cinco, contra os 73 cêntimos, que os nosso vizinhos pagam nos transportes públicos. É um exagero”. A população mostra-se inconformada pelo facto da nova rota do SMUTC não ir ao “inicio do lugar, numa extensão pouco mais de duzentos metros”, defende o autarca de Cernache.

Entretanto, já foi feito um abaixo-assinado com mais de 130 assinaturas, que foi entregue na Câmara Municipal de Coimbra e no SMTUC. Os populares prometem levar novamente o caso à Assembleia Municipal. Caso nada seja feito ponderam um boicote na mesa de voto da aldeia nas próximas eleições.
Ver comentários