Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Praia de Alvor reforçada com areia dragada da ria

Agência Portuguesa do Ambiente investe 2,5 milhões, com recurso a fundos comunitários.
José Carlos Eusébio 7 de Abril de 2017 às 09:55
Pescadores consideram que as dragagens só “pecam por tardias” devido ao avançado assoreamento da ria
Pescadores consideram que as dragagens só “pecam por tardias” devido ao avançado assoreamento da ria FOTO: Pedro Noel da Luz
A Agência Portuguesa do Ambiente vai finalmente avançar com obras de dragagem na ria de Alvor (no concelho de Portimão), reclamadas há quase uma década pela comunidade piscatória local. A areia retirada da ria será usada para reforçar a parte nascente da praia de Alvor. O investimento, de cerca de 2,5 milhões de euros, é suportado a 85% por fundos comunitários.

"As dragagens só pecam por tardias", afirma ao CM Armando Francisco, presidente da Associação de Pescadores de Alvor, adiantando que o atual assoreamento da ria "acarreta uma situação de perigo".

Este dirigente associativo explica que as embarcações de maior dimensão já não conseguem navegar na zona "quando a maré está vazia", tendo alguns barcos "já ficado encalhados". Além da comunidade piscatória, o assoreamento do canal de navegação também causa dificuldades às embarcações marítimo-turísticas que operam na ria.

Ao que apurou o CM junto da Agência Portuguesa do Ambiente, o concurso público para a execução da empreitada será lançado "dentro de cerca de dois meses", estando previsto o começo das dragagens "a seguir à época balnear", de forma a não causar transtornos durante a época alta do turismo.

A areia retirada da ria será aproveitada para a alimentação artificial da praia de Alvor. Esta operação de enchimento permitirá o alargamento da zona das dunas em 10 metros, enquanto o areal da praia irá crescer cerca de 25 metros. A intervenção tem como grande objetivo reduzir os riscos de erosão e aumentar a capacidade de utilização balnear da praia.
Ver comentários