Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Quatro concelhos unidos para recuperar rio Leça

Municípios da Maia, Matosinhos, Santo Tirso e Valongo decidiram criar uma associação.
Ana Isabel Fonseca 11 de Outubro de 2020 às 09:36
Encontram-se já em curso obras junto ao rio Leça entre a ponte de Moreira e a ponte da Pedra, num percurso de 6,9 km
Encontram-se já em curso obras junto ao rio Leça entre a ponte de Moreira e a ponte da Pedra, num percurso de 6,9 km FOTO: Direitos Reservados
Maia, Matosinhos, Santo Tirso e Valongo decidiram unir-se para recuperar o rio Leça, que atravessa estes quatro concelhos. Até ao próximo mês vai ser constituída uma associação intermunicipal, que será apelidada ‘Corredor Verde do Leça - Associação de Municípios’. O objetivo passa por defender, valorizar e promover o rio Leça. Para tal, estará disponível um orçamento a rondar os 28 milhões de euros.

"As intervenções vão contribuir para a completa despoluição do curso fluvial e para a valorização paisagística das margens do rio, transformando-as numa área de lazer e devolvendo-as à fruição da população", refere a Câmara de Matosinhos, dando conta de que estão previstas três intervenções num total de 18 quilómetros.

A primeira inclui a criação de novas pontes pedonais, passadiços e ainda sete quilómetros de ciclovia. Esta fase da obra vai também permitir melhorar a visibilidade do rio Leça e assim vigiar os seus focos de poluição, além de promover um maior contacto com a natureza e novas oportunidades de mobilidade ao longo do rio.

Atualmente, está a decorrer já uma intervenção no troço do rio Leça entre a ponte de Moreira e a ponte da Pedra, num percurso de 6,9 quilómetros. Para António Silva Tiago, presidente da Câmara da Maia, a criação desta associação "demonstra a vontade de todos [os municípios] na recuperação do rio".

Com uma extensão total de 44,8 quilómetros, o rio Leça nasce no concelho de Santo Tirso e desagua em Matosinhos. Durante décadas foi considerado um dos rios mais poluídos da Europa, tendo os municípios criado já em 2016 um grupo de trabalho.
Ver comentários