Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Radares da VCI devem voltar a multar em 2017

Infraestruturas de Portugal quer pórticos a registar infrações já no próximo ano.
Sérgio Pereira Cardoso 22 de Julho de 2016 às 14:23
Radares VCI
Radares VCI FOTO: Sónia Caldas
A Infraestruturas de Portugal (IP) revelou ontem que pretende, já a partir de 2017, dar aos radares da Via de Cintura Interna (VCI) do Porto condições técnicas para registar infrações e enviar dados às entidades competentes para a aplicação de multas.

"A reabilitação dos quatro radares na A20 [VCI], em 2017, vai permitir que os mesmos fiquem em condições operacionais para esse registo", informou a IP, em resposta escrita à agência Lusa.

O excesso de velocidade detetado pelos radares da VCI não é penalizado há cerca de nove anos, depois de os pórticos, instalados em 2003 pela Câmara do Porto, terem sido desativados em 2007. Já em 2013, quando passaram para as mãos da IP, voltaram a assinalar o excesso de velocidade, mas sem se traduzir na aplicação de multas. Atualmente, refere a IP, a A20 "tem instalado um sistema de deteção e controlo de velocidade, constituído por quatro pórticos, equipados com sinais ocultos e cinemómetros".

"O sistema visa a dissuasão da circulação em excesso de velocidade, alertando os condutores quando excedem o limite de velocidade legal", esclarece. Recorde-se que, em fevereiro de 2015, a EP - Estradas de Portugal (entidade que, entretanto, passou a integrar a IP) confirmou que o excesso de velocidade na VCI, detetado e assinalado em quatro pórticos, não era penalizado.

Ontem, a IP informou também que aqueles mesmos quatro radares "não vão ser integrados no Sistema Nacional de Controlo de Velocidade [SINCRO] da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária", rede de 50 cabinas que, até janeiro, vão receber 30 radares móveis em 26 vias do País.
Ver comentários