Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Rio Jamor ganha ciclovia e percurso para peões

Lançada primeira pedra do troço entre o Santuário da Sra. da Rocha e a Cruz Quebrada.
Miguel Balança 28 de Fevereiro de 2019 às 08:42
A carregar o vídeo ...
Lançada primeira pedra do troço entre o Santuário da Sra. da Rocha e a Cruz Quebrada.
A Câmara de Oeiras prepara-se para investir 10 milhões de euros na reabilitação das principais linhas de água do concelho, durante os próximos cinco anos.

O montante gasto com a intervenção foi tornado público pelo presidente da autarquia, Isaltino Morais, durante a cerimónia de lançamento da primeira pedra das obras de requalificação do rio Jamor.

A primeira fase da empreitada – no total de duas, em Oeiras – arrancou no final do mês passado e deverá estar concluída no prazo de 210 dias.

Implica o investimento de 1,2 milhões de euros e prevê a reabilitação das margens do Jamor - numa extensão de três quilómetros - no troço entre o Santuário de Nossa Senhora da Rocha, em Carnaxide, e a praia da Cruz Quebrada, assegurando a ligação através de um percurso pedonal e ciclável com o passeio marítimo de Oeiras.

No troço norte, a segunda etapa estende a reabilitação a Queluz de Baixo. O objetivo é "atrair as pessoas ao longo dessas linhas", afirmou o presidente da autarquia, sublinhando que o investimento "traduz um paradigma diferente de atuação junto das linhas de água".

A intervenção tem um custo total de 3,1 milhões de euros e insere-se no âmbito do Eixo Verde e Azul (EVA), projeto intermunicipal, protocolado em 2016, entre as autarquias de Oeiras, Sintra e Amadora, e que prevê a renaturalização das margens do rio Jamor - que percorre parte dos três concelhos - e da área circundante ao Palácio Nacional de Queluz.

O município mostrou intenção de intervir nas ribeiras de Barcarena e da Laje. Na próxima década, vai investir 30 milhões de euros na área.
Ver comentários