Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Ruído de exaustor de restaurante cria conflito entre vizinhos em Lagoa

Primeira reclamação foi feita junto da Câmara Municipal há três anos.
Diana Santos Gomez 10 de Julho de 2018 às 11:33
Mulher também se queixa de ruído de uma nova esplanada, junto às janelas da casa
Barulho causado por exaustor junto a chaminé motivou queixa já em 2015
Mulher também se queixa de ruído de uma nova esplanada, junto às janelas da casa
Barulho causado por exaustor junto a chaminé motivou queixa já em 2015
Mulher também se queixa de ruído de uma nova esplanada, junto às janelas da casa
Barulho causado por exaustor junto a chaminé motivou queixa já em 2015
Há três anos que uma moradora de uma casa localizada ao lado de um restaurante, em Ferragudo, apresentou a primeira queixa, junto da Câmara de Lagoa, para acabar com o barulho provocado pelo exaustor ligado a uma chaminé do espaço de restauração.

Ao CM, a mulher, de 67 anos, que preferiu não se identificar, explicou que esta situação está a afetar-lhe "a qualidade de vida e do marido, desde que o exaustor para a extração de fumos foi colocado".

Queixa-se ainda de uma nova esplanada do estabelecimento, que "fica ao lado das janelas do corredor que dá acesso aos quartos da habitação" , aumentando o ruído. "Da meia-–noite até cerca das duas da madrugada é um som insuportável", descreve.

Numa primeira fase, a mulher diz ter tentado dialogar com a proprietária do espaço mas a conversa não terá resolvido a situação. O casal que habita nesta casa desde o final da década de oitenta garante que há pelo menos mais dois vizinhos incomodados com o ruído provocado pela chaminé, mas não querem apresentar uma queixa.

A responsável do restaurante admite que foi alvo de duas fiscalizações e garante que "instalou um novo aparelho no exaustor para diminuir o barulho".

A responsável argumenta ainda que "a Câmara de Lagoa não impôs qualquer alteração ao espaço", e reforça que, para "a autarquia o nível de som do restaurante estava mesmo no limite máximo permitido".

Já a Câmara de Lagoa, ao CM, referiu que a fiscalização de 2015 detetou níveis de ruído acima do permitido por lei. Foi notificada para fazer alterações. A autarquia disse ainda que, no final de junho, enviou uma segunda notificação à proprietária, que tem até outubro para fazer as alterações.

Nessa altura vai realizar-se um nova vistoria.
Câmara de Lagoa Ferragudo política autoridades locais autoridades locais questões sociais ambiente
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)