Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Técnico da autarquia suspenso até outubro

Arquiteto Filipe Vilas Boas é suspeito de ter prestado serviços através de uma empresa sua para uma sociedade privada.
Sónia Trigueirão 11 de Julho de 2017 às 12:44
Câmara Municipal de Guimarães
Câmara Municipal de Guimarães FOTO: Direitos Reservados
A suspensão do arquiteto Filipe Vilas Boas das funções de técnico da Câmara de Guimarães pode demorar até finais de outubro. Em causa, está um processo disciplinar sobre alegados serviços de acompanhamento de uma obra, prestados por uma empresa de Vilas Boas à sociedade Ecoibérian.

Num comunicado divulgado ontem, a autarquia explicou que "o processo deve ultimar-se no prazo de 45 dias úteis". E que o período termina em finais de agosto, podendo ser prorrogado, uma vez que a suspensão preventiva - que pode ir até 90 dias - termina em finais do mês de outubro. Em função dos prazos legais, o município realça que "será legalmente impossível concluir o processo disciplinar até ao final de julho, embora este processo deva ter toda a prioridade sobre os restantes".

Entretanto, as estruturas concelhias de Guimarães do PSD e do CDS-PP acusaram ontem publicamente Domingos Bragança, presidente da autarquia e candidato do PS às próximas eleições autárquicas, de "fugir às responsabilidades políticas". Isto porque, na última reunião do executivo, foi revelado que a tutela da Divisão de Desenvolvimento Económico à qual pertencia Filipe Vilas Boas, foi transferida do presidente da câmara para o vereador Ricardo Costa, em junho de 2015. Logo, o arquiteto estava sob a tutela de Domingos Bragança quando terá prestado serviços para a empresa privada.

Ao Correio da Manhã, Domingos Brangança disse aguardar o desfecho do processo disciplinar para, só depois, tirar consequências. "Não vale a pena estar já a procurar culpados", afirmou o autarca.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)