Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Trinta camas para cuidados continuados paradas há 2 anos

Santa Casa da Misericórdia espera pela assinatura do contrato de arrendamento para iniciar o serviço.
Igor Gonçalves 5 de Abril de 2016 às 12:07
Unidade de Cuidados Continuados está pronta a entrar em funcionamento
Unidade de Cuidados Continuados está pronta a entrar em funcionamento FOTO: DR
A Unidade de Cuidados Continuados de Vale de Cambra está há dois anos completamente preparada para receber doentes, mas continua fechada.

No total, há 30 camas disponíveis para pacientes com doenças crónicas que estão totalmente equipadas, mas que, devido a atrasos na assinatura do contrato de arrendamento entre a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) e a Santa Casa da Misericórdia de Vale de Cambra ainda não podem receber doentes.


"Curiosamente, faz hoje [ontem] precisamente dois anos que estive na ARS-Norte para assinar o contrato de arrendamento, mas, depois, disseram-me que teria que ser adiado e nunca mais me foi dada uma data", afirmou ao Correio da Manhã o provedor da Santa Casa de Vale de Cambra, António Pina Marques.

O espaço está localizado na antiga Urgência de Vale de Cambra, que foi desativada em junho de 2010. Pouco depois, a Santa Casa foi convidada para assumir o espaço de cuidados continuados e, desde logo, se mostrou recetiva.

"Assim que nos convidaram, nós dissemos de imediato que sim. Há dois anos, com perspetiva de iniciar o funcionamento, demos formação a uma equipa de enfermeiros e auxiliares para estar tudo pronto, mas depois as coisas não avançaram e continuamos à espera. Tenho a expectativa de ter um contrato de arrendamento do espaço assinado com a ARS-Norte nos próximos tempos, mas não há uma data específica", acrescentou António Pina Marques.


O arrendamento tem uma duração prevista de cinco anos, com possibilidade de estender por mais cinco. Por conhecer está o valor que a Santa Casa da Misericórdia terá de pagar à ARS-Norte. No Parlamento, foi entretanto aprovada uma proposta de integração da unidade no Serviço Nacional de Saúde.
Ver comentários