Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Urgência pediátrica de Almada em risco

Há pediatras a fazer bancos de 24 horas, quatro vezes por semana.
Elsa Custódio e Edgar Nascimento 12 de Outubro de 2019 às 09:06
Urgência pediátrica de Almada em risco
Urgência pediátrica de Almada em risco FOTO: Tiago Sousa Dias

A Urgência Pediátrica do Hospital Garcia de Orta, em Almada, poderá fechar à noite já na próxima semana. A falta de médicos pediatras já se arrasta há mais de um ano e está a obrigar sete pediatras a fazer bancos de urgência de 24 horas, quatro vezes por semana. O Sindicato dos Médicos da Zona Sul alerta para o estado de exaustão da equipa médica e avança que "quatro pediatras equacionam a demissão se não forem feitas mudanças claras". "Vários setores de serviço estão direcionados para a Urgência, que é uma porta aberta para as pessoas, mas não tem qualidade e põe em causa a vida dos próprios médicos", alerta João Proença, presidente do sindicato, citado pela Lusa.

O problema da escassez de pediatras no Garcia de Orta já é antigo, mas intensificou-se há mais de um ano com a saída de 13 profissionais: a abertura de concursos não conseguiu resolver por não ter existido candidatos. "Ninguém vai concorrer para ficar de banco dia sim, dia não" realça João Proença.

Todos os dias a Urgência do Hospital Garcia de Orta recebe cerca de 200 crianças, e para que este atendimento não seja comprometido, João Proença propõe a criação de um acordo com os Hospitais de Santa Maria e Dona Estefânia, em Lisboa, para a transferência de médicos para o Garcia de Orta de forma a "assegurar a escala de serviço com dois graduados em pediatria e dois internos, ao invés de um especialista, como tem acontecido neste hospital". O sindicalista alerta ainda para a necessidade de se "abrir quadros neste hospital".

A administração do hospital remeteu uma resposta para mais tarde.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)