Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Utentes e autarca exigem construção de novo hospital

Unidade terá 440 camas e servirá as 590 mil residentes nos 47 concelhos do Alentejo.
Alexandre M. Silva 26 de Janeiro de 2016 às 06:00
O novo hospital contempla um edifício com 78 mil metros quadrados e estacionamento para 1605 automóveis
O novo hospital contempla um edifício com 78 mil metros quadrados e estacionamento para 1605 automóveis FOTO: DR
O projeto do novo Hospital Central de Évora, suspenso desde 2011 pelo anterior governo de coligação PSD/CDS devido às restrições orçamentais, ganhou agora um novo fôlego. O deputado do Partido Comunista, João Oliveira, entregou no Parlamento um projeto de resolução para a concretização do hospital. E, se for aprovado pelas bancadas do PS, PCP e BE, a obra poderá avançar ainda neste ano, num investimento na ordem dos 94 milhões de euros.

"Precisamos de mais serviços e especialidades que evitem as inúmeras deslocações de utentes às unidades de saúde de Lisboa", frisa Lina Maltez, do Movimento de Utentes de Évora.

O atual Hospital do Espírito Santo está dividido em três edifícios, um dos quais com 500 anos e outro com quatro décadas. "Os custos de manutenção são elevados. Há doentes internados que têm de se deslocar entre edifícios para realizar exames", acrescentou.

O autarca local, Carlos Pinto de Sá, define também como "prioritária" a construção do hospital. Na semana passada solicitou uma audiência com o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, para reclamar o avanço da obra.

O projeto prevê um edifício com 78 mil metros quadrados e 351 camas, extensível a 440. Abrange os 590 mil residentes dos 47 concelhos da região Alentejo. O novo hospital terá ainda 1605 lugares de estacionamento e 170 mil metros quadrados de espaços verdes.

Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)