Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Viana do Castelo quer reabilitar antigo solar vandalizado

Solar dos Quesados poderá ser transformado num espaço cultural e servir de apoio à Escola Secundária Santa Maria Maior.
Manuel Jorge Bento 23 de Janeiro de 2019 às 09:00
Solar dos Quesados ficou parcialmente destruído devido a um incêndio que ocorreu em novembro de 2015
Câmara Municipal de Viana do Castelo
Câmara de Viana do Castelo
Solar dos Quesados ficou parcialmente destruído devido a um incêndio que ocorreu em novembro de 2015
Câmara Municipal de Viana do Castelo
Câmara de Viana do Castelo
Solar dos Quesados ficou parcialmente destruído devido a um incêndio que ocorreu em novembro de 2015
Câmara Municipal de Viana do Castelo
Câmara de Viana do Castelo
Foi ocupado pelos serviços da extinta Junta Autónoma das Estradas até 2009, destruído por um incêndio em novembro de 2015 e sinalizado, em 2017, como local usado por sem-abrigo.

O solar dos Quesados - que consta do Portal Imobiliário Público como imóvel do Estado para venda -, em Viana do Castelo, deverá ser reabilitado e transformado num espaço cultural. O município pretende candidatar a intervenção a fundos comunitários, em breve.

"Devido ao seu elevado valor arquitetónico e patrimonial, poderá ser transformado num espaço com funções culturais e até para servir de apoio à Escola Secundária Santa Maria Maior. Infelizmente, está muito degradado, por estar encerrado há vários anos e ter sido vandalizado. Iremos também apresentar uma proposta de reabilitação à Direção-Geral do Tesouro e Finanças para fins culturais", adiantou José Maria Costa, presidente da Câmara de Viana.

Além desta intervenção, a autarquia pretende também reabilitar um edifício que chegou a ser uma antiga residência feminina de estudantes e delegação escolar de Viana do Castelo.

A intenção do município é transformar o imóvel, "em mau estado de conservação e ao abandono há muitos anos", numa residência para os estudantes do Instituto Politécnico de Viana do Castelo. "Já foi feito o levantamento do edifício e já estamos a trabalhar no projeto porque há uma necessidade urgente de espaços para alojar estudantes", sustentou o autarca.

A recuperação dos edifícios será incluída no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, num investimento de 20 milhões de euros em reabilitação urbana, até 2020.
Ver comentários