Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Vila Pouca de Aguiar e Murça pagam para terem um médico

Câmaras asseguram custos do serviço de saúde durante oito meses.
Tânia Rei 5 de Novembro de 2018 às 09:42
População de Vila Pouca de Aguiar e Murça
População de Vila Pouca de Aguiar e Murça FOTO: Direitos Reservados
A Câmara de Vila Pouca de Aguiar garante que o posto médico de Campo de Jales - que serve aldeias daquele concelho e de Murça - vai voltar a funcionar já a partir desta semana e por um período estimado de oito meses. O custo deste serviço vai ser, nesta fase, assegurado pelos dois municípios.

O estabelecimento de saúde, que abrange 1300 pessoas das freguesias de Alfarela de Jales e Vreia de Jales (Vila Pouca de Aguiar), bem como de Carva e Vilares (Murça), ficou sem médico em julho, quando a profissional que ali estava destacada adoeceu.

No início de outubro, foi comunicado aos municípios afetos e às juntas de freguesia, pela direção do Agrupamento de Centros de Saúde do Alto Tâmega e Barroso, que só em janeiro a médica deveria ser substituída.

Por esse motivo, sabendo antecipadamente que se avizinha o período crítico da gripe e tendo em conta a população envelhecida, as autarquias entenderam avançar com a colocação, por conta própria, de um clínico de medicina geral e familiar, para prestar o serviço três dias por semana.

Entretanto, a Administração Regional de Saúde do Norte autorizou que o novo profissional "possa ter acesso ao sistema de saúde para servir condignamente cerca de 1300 pessoas no planalto de Jales", informou o município de Vila Pouca de Aguiar.

No dia 1, numa reunião com a população promovida no auditório do Conselho Diretivo de Campo de Jales para auscultar a opinião sobre esta situação, os cidadãos manifestaram-se indignados com o Ministério da Saúde pela falta de um médico naquela zona.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)