Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Galardão "praia acessível" hasteado em 35% das praias portuguesas

Das 526 praias portuguesas, 184 ostentam este ano o galardão 'praia acessível', em resultado de um projecto que em oito anos permitiu tornar 35% das zonas balneares acessíveis a pessoas com mobilidade reduzida.
12 de Agosto de 2012 às 12:28
Albufeira é o concelho com mais praias acessíveis, 12
Albufeira é o concelho com mais praias acessíveis, 12 FOTO: Arquivo CM

"A evolução do número de praias acessíveis tem sido uma realidade ao longo dos oito anos do projecto [Praia acessível -- Praia para Todos], em que se passou progressivamente de 50 praias, em 2005, para 184, em 2012", sublinhou à Lusa fonte do conselho directivo do Instituto Nacional para a Reabilitação (INR).

As 184 praias galardoadas representam, segundo o INR, 35% do total das 526 praias nacionais e dividem-se em 153 costeiras e 31 interiores (fluviais, em barragens ou nas margens de um lago).

A região hidrográfica do Algarve, com 43 praias acessíveis, é aquela que mais galardões ostenta, seguida das regiões hidrográficas do Norte e do Vale do Tejo, ambas com 39.

Albufeira, no Algarve, é o concelho com mais praias acessíveis (12), seguido de Matosinhos, no Norte, com 10 praias classificadas.

Na tabela das regiões mais galardoadas segue-se a zona centro (28 praias), Açores (15), Alentejo (14) e, por último, a Madeira, com 15 praias acessíveis.

"Na Ilha da Madeira é de difícil concretização a acessibilidade às praias, principalmente por razões de orografia, verificando-se alguns casos de acesso por recurso a meios mecânicos", explica o INR, justificando ainda os resultados pelo facto de a Região Autónoma da Madeira só integrar o projecto desde 2009.

"Na Ilha de Porto Santo as condições de acessibilidade são aparentemente mais fáceis, mas apenas uma praia daquela Ilha (Fontinha) se tem candidatado desde 2010", acrescenta o instituto admitindo que tal possa estar "relacionado com as referidas facilidades de acesso já existentes, ou com um condicionamento de transportes que eventualmente não alicie as pessoas com mobilidade reduzida a ali se deslocarem".

 


De todas as candidaturas analisadas, é também na Madeira que se localiza uma das três praias que não foi possível classificar: a praia do Garajau.

"Por impossibilidade de contratação de pessoal com habilitações para nadador-salvador" esta praia ficou de fora da lista das acessíveis, a par da Foz do rio Sizandro (Torres Vedras) e a praia Forte do Cão (Caminha).

No primeiro caso por não ter sido incluída na Portaria que designa as zonas balneares e, no segundo "por não ter sido possível realizar as obras de melhoria que lhe confeririam as condições de acessibilidade", justificou o INR.

A "evolução positiva" do projecto - desenvolvido em parceria pelo INR, Instituto da Água, Turismo de Portugal e Instituto do Emprego e Formação Profissional - motivou a criação do prémio "Praia + Acessível", atribuído nas últimas três épocas balneares.

A praia da Manta Rota (Vila Real de Santo António) foi, em 2009, considerada a mais acessível, título que em 2010 coube à praia da Luz (Lagos) e, em 2011 à praia da Comporta (em Grândola), que nos dois primeiros anos se ficou pelo segundo lugar.

Teoricamente, o projecto só deveria terminar quando fosse possível a acessibilidade em todas as praias. Mas, perante a certeza de que " tal é inexequível", o INR estima que seja viável tornar acessíveis 50% do total das praias nacionais o que representará uma "margem de progresso de mais 84 praias".

praias acessiveis galardão
Ver comentários