Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

100 inquéritos contra pornografia infantil

Em apenas um ano, a Polícia Judiciária abriu cerca de uma centena de inquéritos relacionados com a difusão na internet de imagens pornográficas envolvendo menores, sendo que neste momento estão a ser investigados 46 sites portugueses pelos mesmos motivos.
10 de Fevereiro de 2009 às 08:43
100 inquéritos contra pornografia infantil
100 inquéritos contra pornografia infantil FOTO: d.r.

Em declarações à rádio TSF, Jorge Duque, inspector-chefe da secção de investigação da criminalidade com alta tecnologia, explicou que estes casos estão relacionados com imagens paradas ou dinâmicas envolvendo a participação de crianças e adolescentes.

“Há situações que decorrem das conversações de menores no âmbito dos programas, onde acabam por se expor perante um indivíduo que os procura aliciar no âmbito de um chat”, alerta Jorge Duque, acrescentando que “há também difusão de pornografia pura e simples ou verifica-se a difusão de ficheiros a coberto de música, programas ou jogos”.

De acordo com este responsável, a maioria dos processos foram desencadeados através da Linha Alerta Internet Segura, que detectou 46 sites portugueses com imagens sexualmente explicitas de crianças e adolescentes, sendo que em pouco mais de um ano a Polícia Judiciária recebeu 360 alertas de pornografia com menores alojados em sites portugueses ou estrangeiros. 

Esta terça-feira, assinala-se o Dia Europeu da Internet Segura, com o objectivo de sensibilizar a população em geral, principalmente as crianças e os jovens, para a segurança e a responsabilidade na utilização da internet. Um estudo realizado pela Microsoft apurou que mais de metade dos adolescentes portugueses (67 por cento) utiliza a internet sem supervisão dos pais.

RESGATADAS 14 MENINAS

Uma operação internacional que ainda prossegue permitiu desmantelar sete redes de pornografia infantil, deter 170 pessoas e resgatar 14 meninas em vários países, informou o FBI, Polícia Federal norte-americana. O que começou em 2006 com uma advertência das autoridades australianas sobre um vídeo sexualmente explícito em que aparecia uma vítima muito jovem, acabou por converter-se numa das maiores operações do mundo contra a pornografia infantil.

Desde então, revela o FBI, a operação ‘Joint Hammer’ desmantelou sete grandes redes  de pornografia infantil e permitiu resgatar 14 meninas, algumas com apenas três anos de idade, que foram vítimas de abusos sexuais. A Polícia Federal norte-americana não revelou em que países decorreu a operação, mas informou que dos 170 detidos, mais de 60 são cidadãos norte-americanos.

Ver comentários