Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

1500 marchantes descem avenida

De sexta para sábado (12 para 13), Lisboa vive a sua noite mais longa. É Santo António e a cidade está em festa com as Marchas e Arraiais. Pela avenida da Liberdade vão desfilar 22 colectividades (Voz do Operário e Mercados participam extraconcurso), com a Marcha Oficial das Sanjoaninas (Açores) como convidada especial: o presidente do Governo Regional, Carlos César, é convidado de honra do autarca António Costa.
10 de Junho de 2009 às 00:30
A Bela Flôr abre o desfile das vinte Marchas a concurso. Baixa e Belém são estreantes.
A Bela Flôr abre o desfile das vinte Marchas a concurso. Baixa e Belém são estreantes. FOTO: João Cortesão

Anuncia-se bom tempo e a organização espera cerca de 250 mil pessoas, que vão ver um pouco de tudo: floristas, poetas, varinas, marinheiros, vinho, coristas, camponeses, peças de xadrez, romarias, reis, mouras encantadas.

É frente à tribuna que as Marchas mostram o que valem e são apreciadas, uma última vez, pelo júri (o músico Tozé Brito e o estilista Dino Alves são dois dos nomes mais conhecidos). Marvila, a 17ª a desfilar, defende o título.

Estão destacados para a avenida cerca de 500 polícias e bombeiros. O contingente da PSP vai ser reforçado por elementos das esquadras de investigação criminal, que vão ter os carteiristas debaixo de olho.

PORMENORES

FRUTA E SOPA

Os comerciantes dos Mercados vão oferecer laranjas e limões ao público. As crianças da Voz do Operário brindam os convidados na tribuna com sopa de fava-rica.

CUSTOS

As Marchas custam cerca de um milhão. Cada colectividade gasta entre 30 a 45 mil euros.

TRÂNSITO

A avenida vai estar cortada ao trânsito entre as 23h00 de amanhã e as 06h00 de dia 12.

ORDEM DAS MARCHAS

1. Sanjoaninas (Açores, convidada especial)

2. Infantil

3. Mercados

4. Bela Flôr

5. Beato

6. Olivais

7. Bairro Alto

8. Graça

9. Alfama

10. Carnide

11. Madragoa

12. Campolide

13. Bica

14. Lumiar

15. Castelo

16. St.ª Engrácia

17. Alto do Pina

18. Belém

19. Marvila

20. S. Vicente

21. Baixa

22. Mouraria

23. Alcântara

DEZASSEIS CASAIS A CAMINHO DO ALTAR

A tradição dos Casamentos de Santo António volta a cumprir-se no dia 12, com dezasseis casais ‘alfacinhas’ a darem o nó. A festa começa logo ao final da manhã (12h00), no Museu da Cidade (Campo Grande), onde cinco casais contraem matrimónio pelo registo.

É na Sé de Lisboa, decorada com muitas e belas flores, que a cerimónia (14h15) ganha especial solenidade. As noivas chegam em automóveis antigos, sob uma chuva de aplausos da multidão que marca sempre presença. Os onze casamentos vão ser celebrados pelo cónego Luís Manuel e toda a cerimónia será acompanhada pelo Coro da Paróquia do Espírito Santo. À saída, os noivos são brindados com um concerto da Orquestra Ligeira da Carris.

Seguem depois em cortejo automóvel pela rua da Prata, praça da Figueira, Martim Moniz, avenida Almirante Reis e rua Morais Soares, em direcção ao Convento do Beato, onde se realiza o Copo-d’Água. Na ementa, consta sopa rica do mar, bacalhau de fricassé, lombo de porco com especiarias, marquise de chocolate, bolo de noivos, tudo acompanhado com vinho branco, vinho tinto e espumante. À noite, os noivos integram o desfile das Marchas populares.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)