Governo avança com requisição civil na greve dos motoristas de matérias perigosas

Paralisação decorreu em Aveiras, no Barreiro, em Sines e em Matosinhos, tendo sido impugnados os serviços mínimos.
16.04.19
  • partilhe
  • 8
  • +
O Governo aprovou esta terça-feira uma resolução do Conselho de Ministros que reconhece a necessidade de requisição civil no caso da greve dos motoristas de matérias perigosas, que começou na segunda-feira.

Segundo um comunicado da presidência do Conselho de Ministros, "a greve em curso afeta o abastecimento de combustíveis aos aeroportos, bombeiros e portos, bem como o abastecimento de combustíveis às empresas de transportes públicos e aos postos de abastecimento da Grande Lisboa e do Grande Porto".

A nota explica ainda que se impõe a figura da requisição civil para "assegurar a satisfação de necessidades sociais impreteríveis na distribuição de combustíveis".

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!