Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Proibição gera revolta na pesca

Pescadores da ganchorra vão concentrar-se em Olhão.
Tiago Griff 14 de Novembro de 2019 às 09:06
Captura de conquilhas está proibida há mais de cinco meses na ria Formosa devido à presença de biotoxinas
Captura de conquilhas está proibida há mais de cinco meses na ria Formosa devido à presença de biotoxinas FOTO: Direitos Reservados
Há mais de cinco meses consecutivos que a apanha da conquilha está interdita na ria Formosa devido à presença de biotoxinas (em especial a DSP, que causa diarreias), segundo análises recolhidas pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

A proibição está a gerar a revolta dos armadores e pescadores da ganchorra, que vão concentrar-se no porto de pesca de Olhão, na próxima terça-feira, às 10h00, como forma de "protesto e de alerta para a situação económica e social existente", anunciou esta quarta-feira a Olhãopesca - Organização de Produtores de Pesca do Algarve.

Esta associação receia o fim deste tipo de pesca e quer uma revisão urgente dos valores das análises, porque duvida da possibilidade de as pessoas ficarem doentes após comerem as conquilhas.

Em causa estão algas microscópicas que entram no sistema dos bivalves através da filtragem de água. Uma situação que tem impedido a apanha das conquilhas entre Faro e Vila Real de Santo António, deixando em terra 25 embarcações que não têm alternativa para fazer outro tipo de pesca.

"Não há um consenso de como estas algas aparecem. Se é da exposição solar, poluição, alterações climáticas ou correntes marinhas. O que é certo é que várias pessoas continuam a consumir - através de mercados paralelos ou por terem fácil acesso ao bivalve - e não lhes acontece nada. Por isso é urgente uma análise mais aprofundada do tema por parte dos especialistas", refere ao CM Miguel Cardoso, da Olhãopesca.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)