Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

23 anos sem carta

Um ex-emigrante reformado de S. João da Madeira foi apanhado pela GNR ao fim de 23 anos a conduzir sem carta e sem seguro. Agora, com 58 anos, já não tem cabeça para tirar a carta e vai vender o velhinho Fiat. Este era um segredo que tinha tão bem guardado que nem a mulher sabia.
2 de Fevereiro de 2008 às 00:30
Foi o movimento brusco para colocar o cinto de segurança que o tramou e levou a GNR a mandá-lo parar, anteontem à tarde, na rotunda do Mirabela em Arrifana, Santa Maria da Feira. “Quando vi a Guarda quis pôr o cinto, mas eles viram e mandaram-me parar. Se não fosse isso…”, lamenta.
‘João’ – o nome é fictício, a pedido do próprio que não se quer identificar – explica o porquê de nunca ter tirado carta com um encolher de ombros. Conhece a maior parte dos polícias de S. João da Madeira que nunca desconfiaram que aquele homem simpático de 58 anos que faz uns biscates para ganhar a vida não tinha carta de condução. “Nem eu sabia”, confessa a mulher, que estava ao seu lado quando tudo aconteceu e ficou a saber da pior maneira. “Ninguém sabia, só eu”, acrescenta envergonhado ‘João’, ainda sem saber como vai dizer à filha que afinal nunca pôde conduzir.
Vendo que não tinha qualquer hipótese, imediatamente confessou ao elemento da GNR que o abordou: “Desculpe, mas eu não tenho carta”.
Só que não era só a carta. Era também o seguro e a inspecção automóvel e uma taxa de alcoolemia de 0,6 gr/l. “Tinha acabado de almoçar…”, explica
Pessoa humilde, garante que nunca se aventurou a ir para longe. “Mesmo para a praia íamos de comboio, ou autocarro, mas a minha mulher pensava que era por eu não gostar de andar no trânsito.”
“Para mim acabou. Com esta idade já não tenho cabeça para tirar carta, por isso, a partir de agora vou andar a pé”, diz.
‘João’ garante que sempre teve consciência de que andava em infracção, por isso, não se aventurava a conduzir para longe, nem sequer à praia que fica a cerca de 30 quilómetros.
Durante os 23 anos em que andou a conduzir sem carta foi sempre muito cuidadoso e nunca teve um acidente, nem uma multa, mesmo que de estacionamento.
Ciente que errou, espera agora a decisão do Tribunal de Santa Maria da Feira que será conhecida no dia 15 de Fevereiro. Resta-lhe fazer contas de como irá pagar as multas, ao que tudo indica pesadas.
PORMENORES
OUVIDO EM TRIBUNAL
‘João’ foi detido anteontem à tarde pela GNR de S. João da Madeira e ouvido no Tribunal de Santa Maria da Feira. A sentença só será conhecida no próximo dia 15, mas tudo indica que as coimas que venham a ser determinadas sejam elevadas.
VIVEU NA VENEZUELA
Na Venezuela, onde esteve emigrado vários anos, ‘João’ também conduzia automóveis. Nunca foi apanhado e acreditou que o mesmo se passaria no nosso país.
Ver comentários