Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

40,2 milhões para novo armamento

Armas que vão substituir a G3 vão ser compradas através de agência da NATO.
João Carlos Rodrigues 30 de Outubro de 2017 às 08:42
Militares
Militares
Militares
Militares
Militares
Militares
Militares
Militares
Militares
O concurso para aquisição de quase 15 mil armas de guerra – desde espingardas de assalto a metralhadoras ligeiras ou lança-granadas – será lançado até ao final do ano. O negócio, previsto na Lei de Programação Militar 2015-2026, ascende a 40,2 milhões de euros e será feito através da NSPA, a agência da NATO que coordena as ‘compras’ de material militar dos países-membros.

A maior parte deste armamento destina-se ao Exército e vai substituir as velhinhas G3, que já não são fabricadas e cuja renovação era aguardada pelos militares há quase 20 anos. Aliás, todo o processo negocial será acompanhado pelo Chefe do Estado Maior do Exército, em quem o ministro da Defesa Nacional delegou a prática de "todos os atos necessários à execução contratual decorrente do procedimento".

PORMENORES 
700 milhões para militares
A Lei de Programação Militar 2015-2026, prevê o investimento de 700 milhões de euros em equipamento. Metade é destinado a cinco ou seis aviões de transporte KC 390.

Rádios, drones e navios
No mesmo programa está prevista a aquisição de viaturas blindadas, rádios, sistemas informáticos, helicópteros, drones e a modernização de navios.
Ver comentários