Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

4,3 milhões para dois parques

Josefina Correia tinha medo de morrer sem ver um jardim à porta de casa. “Já disse ao meu marido que temos de vir até aqui todos os dias, até porque tenho diabetes e faz-me bem andar”, revela a septuagenária, residente em Mira-Sintra.
1 de Maio de 2005 às 00:00
O Parque de Mira-Sintra
O Parque de Mira-Sintra FOTO: Pedro Catarino
Mais de duas mil pessoas – entre as quais muitas crianças e idosos – aproveitaram a tarde solarenga para conhecer o Parque Urbano da freguesia – um investimento de um milhão de euros – que demorou um ano a ser construído.
Os espaços insufláveis, que só estiveram no parque para a inauguração – foram os mais procurados pelos miúdos, numa festa animada por fantoches, palhaços e pela Filarmónica da localidade.
O espaço pretende “juntar avós e netos, dar auto-estima, para que as pessoas tenham orgulho em dizer que são mira-sintrenses”, frisou ao CM Fernando Seara, presidente da Câmara. Manuel Sá conhece Mira--Sintra como as palmas das mãos e aproveitou para levar a filha Carolina até ao novo parque. “Fazia falta, isto antes eram hortas e galinheiros, depois fizeram um pequeno parque, mas agora está muito melhor”, realçou. Já Carolina, de cinco anos, não parava, irrequieta. O que gostou mais foi dos insufláveis. “Já brinquei muito”, afirmou.
A autarquia sintrense garante não pretender ficar por aqui. Fernando Seara revelou ao CM que Rio de Mouro, Colaride e o Cacém também terão espaços de lazer num futuro próximo. Rui Pinto, presidente da Junta de Freguesia de Mira-Sintra, recordou que o parque urbano está inserido “numa zona onde há muitos idosos” e numa freguesia “que ainda pode ter um crescimento significativo”.
PULMÃO A NORTE
A Norte, o Parque Urbano João Paulo II, em Vila do Conde, inaugurado ontem pelo ministro do Ambiente, Nunes Correia, é uma das obras da intervenção do Programa Polis naquela cidade, que custou 3,3 milhões de euros.
Este ‘pulmão’ verde com cerca de três hectares, integrado no aglomerado populacional das Caxinas e Poça da Barca, a 500 metros da costa, irá contribuir para a qualidade de vida da população da cidade e do concelho.
Desenhado pelo arquitecto Siza Vieira, presente na inauguração, o parque é um espaço de lazer alternativo à orla marítima, com percursos urbanos e zonas qualificadas.
O presidente da câmara de Vila do Conde, Mário de Almeida, explicou ao CM que “o parque foi construído numa zona até há pouco degrada, onde existia a céu aberto a pedreira de onde foi extraído o material necessário para a construção do molhe do porto da Póvoa de Varzim.”
O autarca referiu que antes do Verão estarão finalizadas as obras de requalificação da frente atlântica, da foz do Rio Ave até ao limite norte do concelho, ao longo de aproximadamente três quilómetros.
EQUIPAMENTOS
PARQUE MIRA-SINTRA
Tem mais de dois hectares e conta com anfiteatro, um ringue de patinagem polivalente, jogos de água e tanques, cafetaria com esplanada, wc, torres de escalada e bosquetes.
PARQUE JOÃO PAULO II
O parque tem 30 mil metros quadrados, 700 árvores, um lago, Centro de Actividades com Mediateca, Oficina de Trabalhos Manuais, Sala de informática e um bar de apoio.
Ver comentários