Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

600 polícias deixam de servir cafés e vão patrulhar

Messes e bares concessionados a privados.
Sérgio A. Vitorino 29 de Setembro de 2016 às 09:04
Messes e bares concessionados a privados.
São 600 os agentes da PSP e militares da GNR que vão deixar de servir cafés e almoços nas messes e bares das polícias e passam a patrulhar as ruas, anunciou esta quarta-feira a ministra da Administração Interna.

Constança Urbano de Sousa comprometeu-se: a medida começa a ser implementada em janeiro de 2017. "Estamos empenhados em libertar o maior número de efetivos para as funções para as quais foram recrutados", afirmou no Parlamento.

Outras medidas para esse objetivo são o novo sistema de transporte de armas e explosivos – que liberta 30 GNR e 10 PSP das escoltas – e a desmaterialização do processamento das contraordenações de trânsito.

O serviço nos refeitórios e messes será concessionado a privados.

A ministra regressou à demissão do general Grave Pereira, da Proteção Civil, revelando que a Inspeção-Geral da Administração Interna concluiu terem existido falhas na operacionalidade dos helicópteros Kamov e que o ex-responsável tinha a função de verificar essas "não conformidades", pelo que concordou com a proposta - que remeteu ao Ministério da Defesa - de abertura de um inquérito disciplinar.
PSP GNR Constança Urbano de Sousa política defesa
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)