Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

"A minha mãe ouviu gritos e a pancada"

Fátima estava ao telefone com o marido, António Sousa da Costa, quando se deu o choque.
Manuel Jorge Bento 21 de Outubro de 2014 às 18:59
Três portugueses morreram no acidente da A62. Foi a Guardia Civil que deu a trágica notícia a Flávia Costa
Três portugueses morreram no acidente da A62. Foi a Guardia Civil que deu a trágica notícia a Flávia Costa

Fátima estava ao telefone com o marido, António Sousa da Costa, quando ele morreu no acidente entre dois autocarros, sábado à noite, na autoestrada A62, em Torquemada, na província espanhola de Palência. "Pensámos que a minha mãe tinha percebido mal, mas ela só dizia ‘ouvi gritos, ouvi pancada’", disse Flávia Costa, filha da vítima mortal. A trágica notícia chegou horas depois, na manhã de domingo, pela voz de um agente da Guardia Civil. O homem, de 66 anos, foi um dos três portugueses que perderam a vida no embate fatal.

"Agarrei no telefone e parecia que a rede estava a falhar. Tentámos ligar de novo e nunca mais conseguimos que atendesse. Fomos descansar na esperança de que, no dia seguinte, ele nos ligasse", conta ao CM Flávia Costa, de 24 anos, entre lágrimas.

A chamada nunca chegou. O telemóvel fora entregue às autoridades espanholas. António da Costa perdeu a vida num assento da última fila do autocarro atingido nas traseiras.

António Sousa da Costa Fátima Flávia Costa Guardia Civil