Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Abraço com prejuízo de 250 mil euros

A grave situação financeira que se vive na Associação Abraço traduz-se num prejuízo de mais de 250 mil euros. Esta é a conclusão do relatório de contas da Instituição referente ao ano 2004 que vem de encontro à notícia avançada ontem pelo CM: ‘Abraço em crise conta os cêntimos’.
31 de Maio de 2005 às 00:00
Margarida Martins, a mediática directora da Abraço
Margarida Martins, a mediática directora da Abraço FOTO: Pedro Catarino
As contas da instituição relativas ao ano passado foram auditadas por duas sociedades revisoras de contas (a BDO e a BDC) e aprovadas pelo conselho fiscal.
Segundo o relatório da direcção a que o CM teve acesso, “as dificuldades várias que se fizeram sentir ao longo de 2004, e que culminaram na demissão do executivo, em nada ajudaram na obtenção de paz de espírito, tão necessária ao bom desempenho das tarefas que constituem o dia-a-dia da Abraço”, lê-se.
Contas feitas, o prejuízo da Instituição, à data de 31 de Dezembro último, cifrava-se em 253 582 mil euros, tendo este valor transitado para o corrente ano.
Ainda de acordo com aquele documento assinado por Miguel Rodrigues Pereira e Paulo Lagarto, presidente e vice-presidente respectivamente da Abraço, “a mudança de instalações para o Bairro Santos ao Rêgo constituiu um dos esforços extraordinários para a Associação a nível financeiro”, sendo que a actividade da instituição, durante o ano de 2004, “pautou-se por alguma moderação devido à perspectiva e posterior realização de obras” no novo edifício.
Para mais explica também aquele relatório que o projecto ‘Prevenção entre Pares’ (sessões de formação) que decorreu durante todo o ano passado foi suportado financeiramente em exclusivo pela Associação Abraço, sem qualquer apoio ao subsídio governamental, “muito embora tivesse sido apresentado, em tempo útil, às competentes e potenciais entidades financiadoras”.
Com um total de 81 funcionários efectivos (apenas mais dois do que em 2003), a Abraço teve ainda um aumento dos custos totais de cerca de 165 mil euros relativamente ao que havia sido orçamentado, o que representa mais de sete por cento.
Já os custos de vendas, ficaram muito aquém do previsto, tendo representado menos 69 por cento do que em 2003.
A Abraço, que tem como directora a mediática Margarida Martins, deverá eleger hoje os seus novos corpos dirigentes. Este processo, porém, tem gerado alguma polémica e terá marcado inclusivamente a assembleia geral de ontem à noite, para muitos convocada ilegalmente, já que, no início, só foram aceites os sócios com quotas pagas até 2003.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)